banca

CGD investe 50 milhões para enfrentar rivais digitais

CGD Mega Manchete

O banco estatal anunciou esta terça-feira o lançamento da aplicação Dabox que, para já, é apenas destinada aos clientes da CGD.

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) tem em marcha um plano de transformação digital do banco, num investimento de 50 milhões de euros a realizar em três anos, para deixar o banco preparado para “a nova era da banca”.

O banco estatal anunciou esta terça-feira o lançamento da aplicação Dabox que, para já, é apenas destinada aos clientes da CGD. A partir de outubro a aplicação já deverá disponibilizar a opção de efetuar pagamentos. “Até ao fim do ano estará disponível para todos os portugueses”, afirmou Maria João Carioca, administradora do banco, durante a apresentação da aplicação. A nova aplicação implica um investimento de 1,1 milhões de euros até ao final deste ano.

A CGD tem 1,6 milhões de clientes digitais frequentes num universo de 2,1 milhões de clientes com acesso online ao banco.

O anúncio da CGD surge na sequência da entrada em vigor em Portugal, no dia 14 deste mês, das novas regras europeias de serviços de pagamentos que permitem que bancos e outras entidades acedam às contas bancárias dos clientes, com a sua autorização, para oferecerem diversos serviços.

A banca tradicional tem enfrentado a concorrência de novos players financeiros digitais, como a britânica Revolut e o alemão N26.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

AL perdeu quase 3000 casas em Lisboa e Porto. Oferta para arrendar cresce

A  90ª edição da Micam, a feira de calçado de Milão, está agendada para os dias 20 a 23 de setembro, com medidas de segurança reforçadas. Fotografia DR

Calçado. Micam arranca este domingo e até há uma nova marca presente

Os ministros da Presidência do Conselho de Ministros, Mariana Vieira da Silva (C), Economia, Pedro Sia Vieira (E) e do Trabalho Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho (D). MANUEL DE ALMEIDA/POOL/LUSA

Portugal é o quarto país da UE onde é mais difícil descolar do mínimo

CGD investe 50 milhões para enfrentar rivais digitais