APB

CGD: Nomes para administração são “pacíficos” e aprovação não será demorada

Fernando Faria de Oliveira. Fotografia: Diana Quintela/Global Imagens
Fernando Faria de Oliveira. Fotografia: Diana Quintela/Global Imagens

Presidente da Associação Portuguesa de Bancos diz que nomes já conhecidos apontam que se trata de "uma boa equipa"

O presidente da Associação Portuguesa de Bancos disse hoje, no Porto, que os nomes indigitados para a administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD) são “completamente pacíficos” e considerou que o processo de aprovação pelo BCE não será demorado.

“Naturalmente temos de aguardar o processo de aprovação pelo Banco Central Europeu dos nomes que estão indigitados, mas penso que os nomes são completamente pacíficos e que o processo não vai ser demorado”, disse Faria de Oliveira.

Em declarações aos jornalistas, à margem de um debate sobre o futuro da Europa, realizado no Porto, pelos eurodeputados social-democratas Paulo Rangel e José Manuel Fernandes, o presidente da Associação Portuguesa de Bancos disse ainda tratar-se de “uma boa equipa” e que deverá entrar em funções “na totalidade”.

Na edição de hoje, o Público escreve que Paulo Macedo, que vai liderar a nova administração do banco público, pode entrar na Caixa com “equipa a meio gás” e que o Governo ainda não entregou formalmente em Frankfurt os nomes que vão integrar a próxima administração.

A grande prioridade do futuro líder da CGD, que deve tomar posse em janeiro, depois de António Domingues deixar o banco público, é assegurar que o processo de recapitalização está concluído no primeiro trimestre do próximo ano, o prazo definido pelo Governo, ao mesmo tempo que estabiliza a instituição, retirando-a dos holofotes.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
7. Aeroporto de Londres Heathrow

Oficial. Portugal fora do corredor turístico do Reino Unido

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Decisão do Reino Unido é “absurda”, “errada” e “desapontante”, diz Santos Silva

O primeiro ministro, António Costa.     MANUEL DE ALMEIDA / POOL/LUSA

António Costa admite despedimentos na TAP com menos rotas e aviões

CGD: Nomes para administração são “pacíficos” e aprovação não será demorada