CGD

CGD prepara emissão de dívida subordinada

Fotografia: Rui Coutinho
Fotografia: Rui Coutinho

Equipa de gestão começa roadshow a 20 de março. Sindicato bancário já foi mandatado para tratar da operação

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) está a preparar a emissão de obrigações altamente subordinadas que fazem parte do plano de recapitalização aprovado por Bruxelas.

O banco público vai emitir 930 milhões de euros de dívida em duas tranches, sendo que a primeira acontecerá em simultâneo com a injeção de capital no valor de 2,5 mil milhões de euros, abaixo dos 2,7 mil milhões de euros inicialmente previstos.

Segundo a Bloomberg, o banco liderado por Paulo Macedo já contratou o sindicato bancário para coordenar a operação. CaixaBI, Barclays, Citi, Deutsche Bank e JPMorgan serão responsáveis pela emissão que, nesta primeira tranche, será de 500 milhões de euros. A emissão seguinte, de 430 milhões de euros, será realizada num prazo de 18 meses.

A equipa de gestão liderada por Paulo Macedo vai também realizar um roadshow junto de investidores internacionais que arranca dia 20 deste mês. O Primeiro-Ministro António Costa garantiu ontem que o banco entrará em abril com a recapitalização concluída, em linha com o que já tinha sido dito pelo Presidente da República.

Esta emissão de dívida será reservada a investidores institucionais, como noticiou em primeira mão o Dinheiro Vivo. Ou seja, os pequenos investidores particulares, de retalho, não terão acesso a este produto que não é convertível em ações do banco público.

A emissão será realizada com um cupão de 5,125%, segundo a Bloomberg, mas os custos para a CGD rondarão os 10% de juro, como já tinha antecipado o ministro das Finanças.

O plano de recapitalização da CGD que foi aprovado por Bruxelas ronda os cinco mil milhões de euros e prevê, além da componente financeira, uma reestruturação da operação, com a redução de custos na ordem dos 20%, o corte de 2200 trabalhadores e o encerramento de cerca de 300 balcões.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Utentes à saída de um cacilheiro da Transtejo/Soflusa proveniente de Lisboa, em Cacilhas, Almada. MÁRIO CRUZ/LUSA

Salário médio nas empresas em lay-off simplificado caiu 2%

Mealhada, 3/7/2020 -  O complexo Turístico Três Pinheiros, um espaço emblemático da Bairrada, apresentou um pedido de insolvência  na sequência das quebras provocadas pela pandemia de Covid-19.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Mais insolvências e menos novas empresas em julho

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho (D), ladeada pelo secretário de Esatdo dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro (E), intervém durante a interpelação do Partido Comunista Português (PCP) ao Governo sobre a "Proteção, direitos e salários dos trabalhadores, no atual contexto económico e social", na Assembleia da República, em Lisboa, 19 de junho de 2020. MÁRIO CRUZ/LUSA

Já abriu concurso para formação profissional de 600 mil com ou sem emprego

CGD prepara emissão de dívida subordinada