CGD

CGD reduz prejuízos para 171,5 milhões de euros em 2015

Mandato de José de Matos, presidente da CGD, terminou no final de dezembro
Mandato de José de Matos, presidente da CGD, terminou no final de dezembro

Plano de reformas antecipadas penaliza contas em 65 milhões de euros.

A Caixa Geral de Depósitos registou um prejuízo de 171,5 milhões de euros em 2015. Este montante representa uma redução face aos 348 milhões contabilizados em 2014.

De acordo com o comunicado enviado pelo banco estatal à CMVM, as contas de 2015 foram penalizadas pelo plano de reformas antecipadas. “No entanto, expurgando dos custos de 2015 o montante de 65 milhões de euros referentes ao provisionamento do Plano Horizonte, o resultado antes de impostos e de interesses minoritários teria sido de 43,7 milhões de euros e o resultado líquido de menos 106,5 milhões de euros”.

O Plano Horizonte foi lançado em julho e destina-se a funcionários que completem 55 anos até ao final de dezembro de 2016. O objetivo é reduzir o quadro de pessoal da instituição liderada por José de Matos.

Leia aqui o comunicado com a apresentação de resultados de 2015.

Por sua vez, o produto bancário cresceu 17,5%, atingindo 2.042 milhões de euros, “impulsionado quer pela margem financeira, quer pelos resultados de operações financeiras. Estes aumentaram 148,4 milhões de euros (+73,6%). Já a margem financeira totalizou 1.187,9 milhões de euros, o que se traduziu numa subida de 14,4%. Segundo o comunicado da Caixa, a forte redução do custo de funding mais que compensou a redução dos juros no crédito.

A atividade internacional do grupo Caixa teve um contributo positivo de 390,4 milhões de euros para o resultado bruto de exploração (+16,8%). Para os resultados líquidos, destacam-se os contributos dos bancos em Macau, França, Espanha e Angola.

As provisões e imparidades reduziram-se em 233,1 milhões de euros (-24,6%) totalizando 716,5 milhões de euros no ano.

principais indicadores CGD

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
João Lousada no deserto de Omã como astronauta análogo, em 2018

João Lousada. Conheça o primeiro português a liderar a Estação Espacial

João Lousada no deserto de Omã como astronauta análogo, em 2018

João Lousada. Conheça o primeiro português a liderar a Estação Espacial

Fotografia: REUTERS/Henry Nicholls - RC122C9DD810

Cartas de Boris Johnson causam surpresa e perplexidade em Bruxelas

Outros conteúdos GMG
CGD reduz prejuízos para 171,5 milhões de euros em 2015