CGD

CGD: Venda de filiais em Espanha e África do Sul gera mais-valias de 200 milhões

Sede Caixa Geral de Depósitos, em Lisboa. Foto: DR
Sede Caixa Geral de Depósitos, em Lisboa. Foto: DR

Segundo o instituição bancária, a venda destas filiais permitirá ainda aumentar os fundos próprios do banco em um ponto percentual.

A venda das filiais da Caixa Geral de Depósitos (CGD) em Espanha e na África do Sul vai gerar mais-valias de 200 milhões de euros e aumentar os fundos próprios do banco em um ponto percentual, anunciou esta segunda-feira a instituição.

“Quanto ao impacto no capital da CGD, a alienação deverá significar um aumento superior a um ponto percentual nos fundos próprios da CGD, resultantes da conjugação da mais-valia gerada e da diminuição dos ativos ponderados pelo risco”, refere a CGD num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Ainda assim, acrescenta, “a alienação representa uma perda face ao valor bruto das participações”.

A CGD anunciou na quinta-feira que a venda das participações de 100% que detém no capital social da sul-africana Mercantile Bank Holdings Limited e de 99,79% no capital social do espanhol Banco Caixa Geral permitirão um encaixe de 565 milhões de euros.

No comunicado então divulgado, a instituição referiu que “a participação na Mercantile Bank Holdings será alienada por um preço global de 3.200 milhões de rands sul-africanos, cerca de 201 milhões de euros (considerando uma taxa de câmbio EUR/ZAR de 15,9) e a participação no Banco Caixa Geral S.A. será alienado por um preço global de 364 milhões de euros”.

Estes preços, nota a CGD, “estão sujeitos a ajustamentos decorrentes da variação patrimonial da Mercantile Bank Holdings Limited e do Banco Caixa Geral, S.A., respetivamente, entre a data de referência estabelecida nos acordos de venda direta e o último dia do segundo mês anterior à respetiva data da sua efetiva alienação, pelo que o impacto total da operação poderá diferir dos valores mencionados”.

Ambos os negócios estão dependentes de aprovação pelas autoridades locais de cada país onde as entidades estão sediadas, respetivamente África do Sul e Espanha.

No comunicado divulgado na quinta-feira, a CGD adiantou que, além dos contratos de compra e venda, serão celebrados acordos de cooperação entre a CGD e o Capitec Bank Limited e entre a Caixa e a Abanca Corporación Bancária “que permitirão continuar a dar apoio aos clientes” da instituição bancária portuguesa que residem ou operam naqueles mercados.

Estes negócios “enquadram-se na execução do plano de capitalização da CGD que prevê, entre outras medidas, a racionalização e maior foco da estrutura internacional do grupo CGD”, permitindo assim “uma libertação de capital e redução do seu perfil de risco”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Imagem de 2016 sobre as filas no atendimento para obter o passe do Metro, esta tarde na estação do Campo Grande em Lisboa. 
( Pedro Rocha / Global Imagens )

Passe Família já pode ser pedido. Mas prepare-se para a burocracia

Imagem de 2016 sobre as filas no atendimento para obter o passe do Metro, esta tarde na estação do Campo Grande em Lisboa. 
( Pedro Rocha / Global Imagens )

Passe Família já pode ser pedido. Mas prepare-se para a burocracia

Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa.

Programa Regressar arranca. Governo dá incentivo até 6500 euros a emigrantes

Outros conteúdos GMG
CGD: Venda de filiais em Espanha e África do Sul gera mais-valias de 200 milhões