Bolsa

CMVM dá luz verde à saída de bolsa do BPI

Balcão do banco BPI. Fotografia: Manuel Azevedo
Balcão do banco BPI. Fotografia: Manuel Azevedo

Quem ainda detém ações do BPI vai receber 1,47 euros por cada título

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) deu luz verde ao CaixaBank para retirar o BPI de bolsa. A decisão foi tomada pelo Conselho de Administração esta sexta-feira e quem ainda detenha ações do banco vai receber 1,47 euros por cada título. O CaixaBank vai pagar, no total, 108 milhões de euros para ficar com as ações do BPI que ainda não detém.

O pedido para a saída de bolsa foi feito a 29 de junho deste ano. E a contrapartida que terá de ser paga foi definida por um auditor independente. A CMVM informa que “o valor global da contrapartida fica disponível pelo prazo de três meses a contar da presente publicação, pelo preço unitário de 1,47 euros por ação do Banco BPI”.

O regulador liderado por Gabriela Figueiredo Dias realça que esta decisão implica a “a imediata exclusão da negociação em mercado regulamentado das ações da sociedade e dos valores mobiliários que dão direito à sua subscrição ou aquisição, ficando vedada a sua readmissão pelo prazo de um ano”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

O antigo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos ouvido na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco. Assembleia da República, Lisboa, 19 de junho de 2019. MIGUEL A. LOPES/LUSA

As razões de Teixeira dos Santos – e aquilo que nunca soube

O antigo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos ouvido na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco. Assembleia da República, Lisboa, 19 de junho de 2019. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Teixeira dos Santos: Sócrates alertou que nomear Vara criaria “ruído mediático”

Outros conteúdos GMG
CMVM dá luz verde à saída de bolsa do BPI