BPI

CMVM regista OPA do CaixaBank sobre BPI. Oferta começa já amanhã

Oferta decorrerá entre as 8h30m (hora de Lisboa) do dia 17 de janeiro de 2017 e as 15h30m (hora de Lisboa) do dia 7 de fevereiro de 2017

A Comissão do Mercado dos Valores Mobiliários (CMVM) deliberou hoje “registar a oferta pública de aquisição obrigatória” anunciada pelo CaixaBank no passado dia 21 de setembro de 2016.

Em comunicado, o supervisor dos mercados refere que “a oferta decorrerá entre as 8h30m (hora de Lisboa) do dia 17 de janeiro de 2017 e as 15h30m (hora de Lisboa) do dia 7 de fevereiro de 2017”.

De acordo com as informações avançadas pela CMVM, as respetivas ordens de venda dever ser recebidas até ao termo do prazo, sendo que os “detentores das ações que aceitem a oferta poderão revogar as suas declarações de aceitação até dia 2 de fevereiro de 2017”.

“O resultado da oferta será apurado em Sessão Especial de Mercado Regulamentado da Euronext Lisbon que se espera venha a ter lugar no dia 8 de fevereiro de 2017”, acrescenta ainda o supervisor. O intermediário financeiro da OPA será a sucursal portuguesa do Deutsche Bank.

O CaixaBank oferece uma contrapartida de €1,134 por ação do BPI na oferta e, de acordo com a análise da administração do banco português, a operação pode acabar com mil empregos no BPI. “O valor das sinergias referido pelo Oferente conjugado com os custos de reestruturação anunciados é compatível com uma saída de perto de 1 000 pessoas”.

Ao aceitar o registo da OPA com o preço oferecido pelo grupo catalão, o supervisor acaba por negar as exigências dos pequenos investidores concentrados na associação ATM, que desejavam que fosse um auditor independente a decidir o preço da oferta. Nas contas da ATM, o preço justo pelo BPI seria mais do dobro da oferta atual do CaixaBank.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

A presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, Isabel Mota, conversa com o presidente e CEO da PTT Exploration and Production (PTTEP), Phongsthorn Thavisin durante a conferência de imprensa de anúncio da venda da Partex à empresa tailandesa, na sede da fundação em Lisboa
TIAGO PETINGA/LUSA

Gulbenkian vende negócio do petróleo e gás. Onde vai investir agora?

Fotografia: D.R.

Deficiência. Peritos aconselham troca de benefícios fiscais por outros apoios

Outros conteúdos GMG
CMVM regista OPA do CaixaBank sobre BPI. Oferta começa já amanhã