Mobile Banking

Montepio reforça aposta no digital com aplicação M24 Empresas

AppEmpresas-03

O Montepio reforçou a sua aposta em serviços digitais com o lançamento de uma nova aplicação de mobile banking para clientes empresariais.

A Caixa Económica Montepio Geral (CEMG) reforçou a sua aposta em serviços digitais com o lançamento de uma nova aplicação de mobile banking para clientes empresariais, a M24 Empresas, anunciou o banco.

A app está disponível nas lojas de aplicações móveis da Apple e Google para smartphones e tablets.

“O lançamento da app M24 Empresas é mais um marco no processo de transformação digital que a CEMG está a atravessar, com o fim último de oferecer ao cliente – particular ou empresarial – a melhor experiência possível, seja qual for o canal preferido e em uso a cada momento”, refere num comunicado divulgado esta segunda-feira.

“À semelhança da app M24 Particulares, na app M24 Empresas os clientes também podem realizar um conjunto de operações bancárias como sejam consultas, transferências e pagamentos, mas também podem assinar transações, realizar transferências internacionais e fazer a autenticação por chave alfanumérica para os utilizadores virtuais, entre outros serviços”, adianta.

Para dar a conhecer o novo serviço, o Montepio preparou uma campanha publicitária, da autoria da agência 004, que arranca esta segunda-feira em digital e no site da instituição bancária. “Com o mote ‘Mais confortável só na nova app M24 Empresas’, esta campanha segue a mesma linha de comunicação iniciada no lançamento da app de particulares, centrada no conforto e comodidade do cliente”, explica o banco.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

O ministro das Finanças, Mário Centeno, fala durante conferência de imprensa sobre a proposta do Orçamento do Estado para 2019 (OE2019), realizada no Salão Nobre do Ministério das Finanças, em Lisboa, 16 de outubro de 2018. Na proposta de OE2019, o Governo estima um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,2% no próximo ano, uma taxa de desemprego de 6,3% e uma redução da dívida pública para 118,5% do PIB. No documento, o executivo mantém a estimativa de défice orçamental de 0,2% do PIB no próximo ano e de 0,7% do PIB este ano. RODRIGO ANTUNES/LUSA

IRS: Escalões vão absorver parte do aumento salarial de 2019

António Costa, que cumprimenta João Oliveira, com Jerónimo de Sousa e Catarina Martins© Lusa

Quanto valem as medidas negociadas à esquerda?

Outros conteúdos GMG
Montepio reforça aposta no digital com aplicação M24 Empresas