banca

Acesso a contas de serviços mínimos bancários dispara 45% num ano

Foto: Angelo Lucas/Globalimagens
Foto: Angelo Lucas/Globalimagens

No total já existem 34 953 contas de SMB, sendo que 48% das contas constituídas em 2016 resultaram da conversão de contas de depósitos à ordem

O recurso a contas de serviços mínimos bancários (SMB) voltou a crescer de forma significativa em 2016. Segundo os dados do Banco de Portugal publicados esta segunda-feira, em 2016 foram abertas 12 736 contas neste tipo de serviço, considerado essencial e destinado à população que não tem recursos suficientes para abrir uma conta no banco.

No total, já existem 34 953 contas de SMB, sendo que 48% das contas constituídas em 2016 resultaram da conversão de contas de depósitos à ordem já existentes. Os restantes 52% dizem respeito à abertura de novas contas.

Gráfico: Banco de Portugal

Gráfico: Banco de Portugal

Os bancos comunicaram ainda o encerramento de 1851 contas, das quais 78% foram fechadas por iniciativa do próprio cliente.

As contas de serviços mínimos bancários permitem aos clientes abrir e manter uma conta de depósito à ordem e inclui a posse de um cartão de débito. Os clientes que beneficiem deste tipo de contas podem ainda fazer débitos diretos e transferências interbancárias nacionais.

Para ter acesso aos SMB o cliente não pode ser titular de uma conta de depósito à ordem, ou então terá de convertê-la numa conta de SMB. Existem, porém exceções à regra, como é o caso das pessoas com mais de 65 anos ou pessoas com um grau de invalidez permanente igual ou superior a 60%, explica o BdP.

Os bancos são obrigados a disponibilizar este tipo de serviço aos clientes, e não podem cobrar comissões, despesas ou outros custos que, no total, ultrapassem 1% do salário mínimo nacional. Esse valor situa-se atualmente nos 5,57 euros.

Em 2007 existiam apenas 1841 contas de serviços mínimos bancários.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Alexandre Fonseca, presidente da Altice Portugal (Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Altice sobre compra TVI. “Estado perdeu 200 milhões num ano”

Alexandre Fonseca, presidente da Altice Portugal (Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Altice sobre compra TVI. “Estado perdeu 200 milhões num ano”

Combustíveis

Petróleo sobe em flecha. “Não haverá impacto perturbador nas nossas algibeiras”

Outros conteúdos GMG
Acesso a contas de serviços mínimos bancários dispara 45% num ano