escudo

Corrida ao Banco de Portugal. 58 mil notas de escudo trocadas em quatro dias

Portugueses fizeram filas à porta do Banco de Portugal na última semana de dezembro

Na última semana do ano, quem passou pelo Banco de Portugal não terá deixado de reparar nas filas que se formavam do lado de fora. Os portugueses aproveitaram os últimos dias de 2017 para ir ao baú recuperar as velhinhas notas de escudo.

Tudo porque ontem, 1 de janeiro de 2018, prescreveram cinco chapas da moeda que antecedeu o euro em Portugal. Sexta-feira, dia 29 de dezembro, foi o último dia útil para trocá-las.

Segundo dados revelados ao Dinheiro Vivo pelo Banco de Portugal, foram trocadas no total 57 889 notas de escudo entre os dias 26 e 29 de dezembro.

No entanto, a maior parte das notas trocadas na semana passada não prescreviam em 2018. Fonte oficial do Banco de Portugal explicou ao DV que “a maioria dos utentes que se deslocou às tesourarias do Banco de Portugal para trocar notas de escudo, na última semana do ano, acabou por efetuar a troca de notas que só prescrevem mais tarde”.

Ou seja, das quase 58 mil notas trocadas em quatro dias, apenas 12.837 a tinham como data de validade o dia 1 de janeiro.

Traduzido em euros? Os portugueses levaram para casa 882.478,23 euros no total, nas trocas efetuadas nesses quatro dias.

Desse montante, apenas 200.282,32 euros eram referentes a notas que prescreveram no primeiro dia de 2018.

Como o Dinheiro Vivo escreveu no dia 26 de dezembro, os portugueses mantinham em casa, até perto do final do ano, 4,2 milhões de notas de escudo com data de prescrição a 1 de janeiro. O equivalente a 46,6 milhões de euros.

Com as trocas efetuadas na última semana, estes montantes acabaram por sofrer poucas alterações.

As chapas que podia trocar até 29 de dezembro eram: Egas Moniz (dez mil escudos), Antero de Quental (5 mil escudos), Bartolomeu Dias (dois mil escudos) e Teófilo Braga (mil escudos).

No entanto, ainda restam seis chapas de nota de escudo que podem ser trocadas, progressivamente, até 01 de março de 2022.

Destas, restavam no início de dezembro 15,3 milhões de exemplares na posse do público, o equivalente a 107,1 milhões de euros. Depois das últimas trocas, os portugueses mantêm mais de 14 milhões destas notas.

Se é um dos milhares de portugueses que ainda tem notas de escudo em casa e quer trocá-las por euros, poderá fazê-lo “nas tesourarias do Banco de Portugal até ao dia útil anterior à data de prescrição”, explica a instituição.

Já “na impossibilidade de troca presencial, pode enviar o numerário por correio registado, com valor declarado”, para as instalações do Banco, no Carregado.

A próxima nota a prescrever será a de 500 escudos com a efígie de Mouzinho da Silveira, no próximo dia 1 de maio.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP), Vítor Constâncio, na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco, na Assembleia da República. TIAGO PETINGA/LUSA

BCP, Berardo e calúnias. As explicações de Constâncio no inquérito à CGD

Outros conteúdos GMG
Corrida ao Banco de Portugal. 58 mil notas de escudo trocadas em quatro dias