Futuro da Banca

Costa. Sistema financeiro saiu do impasse e vai ajudar crescimento

Foto: ESTELA SILVA/LUSA
Foto: ESTELA SILVA/LUSA

O primeiro-ministro português, António Costa, realçou hoje em Madrid que o sistema financeiro português vai ajudar ao crescimento.

O primeiro-ministro português, António Costa, realçou hoje em Madrid que o sistema financeiro português saiu do impasse em que se encontrava e que isso irá ajudar no crescimento da economia, tendo dado como exemplo o caso de Espanha.

“Aquilo que tenho registado ao longo deste ano é que saímos, precisamente, do impasse”, disse António Costa numa conferência de imprensa com o chefe do Governo espanhol, Mariano Rajoy, com quem teve um almoço de trabalho.

Para o primeiro-ministro português, o exemplo espanhol no setor financeiro “é um excelente exemplo” e explicou que o país vizinho deu “prioridade à resolução dos problemas da banca” e isso é uma das razões que explicam o “forte crescimento” que tem neste momento.

“Portugal teve outras prioridades e tem de tratar agora do que a Espanha tratou antes”, concluiu António Costa.

O primeiro-ministro considerou ter sido “uma alteração essencial o facto de a Comissão Europeia ter autorizado a capitalização a 100 % pública deste banco”.

“Esse plano de capitalização, que é o essencial, está a decorrer normalmente, está em curso e será concluído no calendário previsto”, explicou António Costa, que referiu ainda que os problemas do BPI e do BCP estão também em vias de ser resolvidos.

A Espanha recebeu em 2011 uma ajuda europeia dirigida à resolução dos problemas do seu sistema bancário, ao contrário de países como a Grécia e Portugal que foram alvo do auxílio internacional (União Europeia e Fundo Monetário Internacional) para corrigir desequilíbrios orçamentais.

“Estamos a sair de uma fase de instabilidade do nosso sistema financeiro, a estabilizá-lo e a concluir um trabalho com o Banco de Portugal para termos uma solução sistémica para resolver situações de ativos menos preformantes da banca portuguesa”, afirmou António Costa.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

EDP. (REUTERS/Eloy Alonso)

Concorrência condena EDP Produção a multa de 48 milhões

Outros conteúdos GMG
Costa. Sistema financeiro saiu do impasse e vai ajudar crescimento