crédito

Crédito ao consumo sobe 7,1% em março

Finanças pessoais: Dívidas com cartões de crédito, poupar para a reforma, roubo de identidade e enormes custos com o seguro de saúde são alguns dos problemas.

No final de março, as famílias portuguesas deviam 26,4 mil milhões de euros de empréstimos para consumo, o valor mais alto dos últimos seis anos.

O novo crédito ao consumo aumentou 7,1% em março face ao mês anterior, atingindo os 617,5 milhões de euros.

No total, no final de março, as famílias portuguesas deviam 26,4 mil milhões de euros de empréstimos para consumo e outros fins. Trata-se do valor mais alto dos últimos seis anos.

Este máximo ocorre apesar de, em julho de 2018, ter entrado em vigor uma recomendação do Banco de Portugal. A medida visou travar o aumento da concessão de crédito à habitação e ao consumo a devedores com maior perfil de risco, para proteger as entidades financeiras.

Em comparação com o mês de março de 2018, o novo crédito ao consumo desceu 6,8%.

A componente ‘outros créditos pessoais’ tem a maior fatia do novo crédito contratado – de 276 milhões de euros – e registou um aumento de 6,1%, em termos mensais, segundo dados do Banco de Portugal divulgados esta quarta-feira.

A compra de automóvel com reserva de propriedade subiu 4,9% para 151,2 milhões de euros. O crédito relativo a cartões, linhas e contas a descoberto aumentou 2,2% para 94,2 milhões de euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
António Costa (E) e Charles Michel (D). Fotografia: EPA/JOHN THYS

Costa. Orçamento de Charles Michel é para os “países forretas”

A companhia portuguesa teve ontem de colocar os viajantes noutros voos. foto: Global Notícias

TAP estuda soluções para passageiros nos voos com Venezuela

O ministro das Finanças, Mário Centeno, com o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes. Fotografia: Filipe Amorim/Global Imagens

Portugal melhora transparência financeira, mas ainda tem nota negativa

Crédito ao consumo sobe 7,1% em março