crédito

Crédito especializado sobe 13,7% em fevereiro

D.R.
D.R.

As empresas de crédito especializado emprestaram 777 milhões de euros em fevereiro, mais 13,7% do que em igual período de 2017.

As empresas de crédito especializado emprestaram 777 milhões de euros em fevereiro, mais 13,7% do que em igual período de 2017, com o crédito clássico a particulares a disparar 23,5%, anunciou a ASFAC-Associação de Instituições de Crédito Especializado.

O crédito clássico a particulares atingiu os 248 milhões de euros, representando 32% dos montantes emprestados pelas associadas da ASFAC.

“Em relação ao destino dos montantes concedidos no crédito clássico, a aquisição de meios de transporte continuou a representar a grande maioria dos empréstimos concedidos, com um crescimento de 21% em fevereiro deste ano, comparativamente ao mesmo mês de 2017, registando um total de 174 milhões de euros”, refere a ASFAC num comunicado divulgado esta segunda-feira. Adianta que o crédito pessoal subiu 12,7%, face ao período homólogo de 2017.

Os montantes financiados para a aquisição de viaturas ligeiras de passageiros usadas cresceram 22,4%, representando 71,3% dos meios de transporte financiados. Os montantes concedidos nas viaturas comerciais novas aumentaram 32,8 % face a fevereiro de 2017.

Quanto ao número de contratos de crédito clássico celebrados, subiu 21%, comparando com igual período do ano passado, sendo a maioria destinados a particulares. Quanto ao v valor médio dos contratos de crédito, situou-se nos 7.262 euros.

Segundo a associação, “os indicadores da ASFAC relativos ao mês de fevereiro seguem a tendência registada nos últimos meses que apontam para uma melhoria do nível de vida dos portugueses”.

“A descida do desemprego e o bom desempenho da economia portuguesa são índices de confiança para os consumidores”, afirma.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Rui Manuel Ferreira/Global Imagens

Emprego dos jovens que acabaram agora o curso regressa a níveis pré-troika

Foto: Sonae

Cláudia Azevedo, desafios de uma sucessão na continuidade da Sonae

O antigo ministro da Economia, Manuel Pinho, durante a sua audição na Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, sobre o seu alegado relacionamento, enquanto Ministro da Economia e da Inovação, e o setor privado, Assembleia da República em Lisboa, 17 de julho de 2018. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Manuel Pinho: “PSD é o pai dos CMEC e a mãe das barragens”

Outros conteúdos GMG
Crédito especializado sobe 13,7% em fevereiro