crédito malparado

DBRS: Rácios de malparado “muito mais altos” que média europeia

dbrs-1060x594

Itália, Portugal e Grécia terminaram 2018 com rácios de NPLs de 8,3%, 10,1% e 41,2%, respetivamente.

A agência de rating DBRS afirma num relatório divulgado esta terça-feira que os bancos em Portugal ainda têm rácios de crédito malparado “muito mais altos” do que a média dos congéneres europeus.

No relatório, a DBRS sublinha que como em Portugal, em Itália e na Grécia, os bancos também têm rácios de crédito malparado (Non-Performing Loans, NPLs) “muito mais altos” do que a média dos congéneres europeus.

Contudo, a DBRS afirma que espera mais progressos significativos na diminuição do stock de NPLs nos referidos países até ao final de 2020, porque considera que a maioria dos bancos nestes países estão a trabalhar para acelerar o processo.

Na análise, a DBRS refere que “apesar de uma redução significativa nos últimos quatro anos, alguns bancos europeus ainda têm um elevado ‘stock’ de NPLs”, sublinhado que os progressos foram “mais notáveis” em Espanha e na Irlanda.

Segundo dados da DBRS, os bancos europeus reduziram o montante de NPLs para 658 mil milhões no final de 2018, menos 44% que no final de 2014.

Desta redução 65% foi conseguida por bancos em Espanha, Itália, Irlanda, Portugal e Grécia.

Itália, Portugal e Grécia terminaram 2018 com rácios de NPLs de 8,3%, 10,1% e 41,2%, respetivamente, enquanto Espanha e a Irlanda fecharam o ano com os mesmos indicadores em 3,2% e 5,8%.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O deputado do PCP, João Oliveira. MIGUEL A. LOPES/LUSA

PCP vai votar contra Orçamento Suplementar

tap lay-off

Plano para salvar a TAP sem nacionalizar custava mais que 4 meses de lay-off

avião da TAP em Faro

TAP. Azul cede e nacionalização evitada durante a madrugada

DBRS: Rácios de malparado “muito mais altos” que média europeia