banca

Deutsche Bank avança com plano de reestruturação e corta 18 mil empregos

FILE PHOTO: CEO Christian Sewing delivers a speech during the annual shareholder meeting of Germany’s largest business bank, Deutsche Bank, in Frankfurt, Germany, May 23, 2019. REUTERS/Kai Pfaffenbach/File Photo
FILE PHOTO: CEO Christian Sewing delivers a speech during the annual shareholder meeting of Germany’s largest business bank, Deutsche Bank, in Frankfurt, Germany, May 23, 2019. REUTERS/Kai Pfaffenbach/File Photo

Banco alemão prepara-se para deixar negócio das ações e avançar com plano reestruturação de 7,4 mil milhões de euros

O Deutsche Bank aprovou este domingo um plano de reestruturação no valor de 7,4 mil milhões de euros. Em cima da mesa está a saída de 18 mil funcionários e uma reorganização de vários negócios, para que o banco passe a focar-se nos clientes empresariais alemães. Christian Sewing, CEO da instituição, acredita que o plano permitirá ao banco voltar aos lucros.

O plano avançado pela Reuters e Bloomberg passa por redimensionar o banco de investimento e abandonar o negócio das ações. Além disso, prevê-se a criação de uma unidade tipo banco mau para onde serão conduzidos os ativos indesejados – o banco tem 74 mil milhões de euros em ativos considerados problemáticos.

O custo da reestruturação deverá levar a uma perda de 2,8 mil milhões de euros no segundo trimestre.

A reorganização das unidades do banco surge depois de terem falhado, em abril, as negociações para uma fusão com o Commerzbank que, acabou por ser considerada inviável financeiramente pelas duas instituições.

A reestruturação acabaria por ser a única solução à vista para resolver um problema crónico em que os custos são demasiado elevados para a receita gerada. Christian Sewing disse isso mesmo, logo em maio, quando prometeu aos acionistas “cortes difíceis” no banco de investimento.

O projeto de reestruturação vai ser feito de forma gradual até 2022, período durante o qual serão reduzidos 18 mil empregos, dos cerca de 91 mil que o banco apresenta atualmente.

Para este e próximo ano não serão pagos dividendos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Céu cinzento de Londres. Fotografia: D.R.

Portugal fora do corredor turístico britânico. Madeira e Açores entram

O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, acompanhado pelo ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos (Foto: Mário Cruz/Lusa)

Recuperar poder de decisão na TAP obriga Estado a pagar mais

O presidente do conselho de administração da TAP, Miguel Frasquilho. (Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Frasquilho: Reestruturação da TAP “não vai ser isento de dor”

Deutsche Bank avança com plano de reestruturação e corta 18 mil empregos