Mecanismo Único de Supervisão

Elisa Ferreira na lista para liderar supervisor europeu dos bancos

Elisa Ferreira, vice-governadora do Banco de Portugal
Elisa Ferreira, vice-governadora do Banco de Portugal

A vice-presidente do Banco de Portugal é uma das fortes candidatas a suceder a Danièle Nouy, segundo a Bloomberg.

Elisa Ferreira e a irlandesa Sharon Donnery. São as grandes candidatas a suceder no final do ano a Danièle Nouy na liderança do Mecanismo Europeu de Supervisão. Fontes citadas pela Bloomberg indicaram que para assegurar a diversidade de género o Banco Central Europeu deverá optar por nomear uma mulher para o cargo. E as vice-governadoras do Banco de Portugal e do Banco da Irlanda estão na linha da frente.

Em relação a Elisa Ferreira, a Bloomberg adianta que pode ser uma candidata que irá agradar aos países do Sul da Europa que se mostram preocupados com a ordem do supervisor europeu de acelerar ainda mais a limpeza do malparado, o que pode colocar os seus bancos numa posição de fragilidade.

Além disso, enquanto eurodeputada, a atual vice-governadora do Banco de Portugal, teve um papel ativo na reforma do setor bancário. Foi relatora das propostas do Parlamento europeu sobre resoluções bancárias. Apesar destes pontos a favor, a jogar contra Elisa Ferreira está o jogo de equilíbrios nos cargos de topos europeus. É que Portugal já tem Mário Centeno à frente do Eurogrupo.

Também Sharon Donnery tem uma candidatura forte. Liderou o grupo de trabalho do BCE para lidar com o crédito malparado e já foi elogiada por Danièle Nouy. Ainda assim, o governo irlandês poderá estar mais inclinado a apoiar a candidatura do governador do banco central, Philip Lane, ao cargo de economista-chefe e membro da Comissão Executiva do BCE.

Além de Elisa Ferreira e de Sharon Donnery a Bloomberg aponta outros candidatos, apesar de considerarem que têm menos hipótese de sucesso. Caso o cargo de quem fica a mandar na supervisão europeia vá para Itália, a agência aponta os nomes de Andrea Enria (antigo responsável da Autoridade Bancária), Ignazio Angeloni (que é o representante do BCE no Conselho do Mecanismo Único de Supervisão) e Fabio Panneta, que também integra o conselho da entidade que assegura a supervisão na Europa.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Eleições europeias: 11,56% dos eleitores votaram até ao meio-dia

Um espécime de um boletim de voto das Eleições Europeias é exibido durante a audição do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, na Assembleia da República, Lisboa, 09 de maio de 2019.  JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Líderes partidários já votaram com apelos à participação

A população da freguesia que agrega as aldeias de Morgade, Carvalhais e Rebordelo, mobilizou-se contra a mina a céu aberto anunciada para esta localidade, apelando ao boicote nas Eleições Europeias, em Montalegre, 26 de maio de 2019. FOTO PEDRO SARMENTO COSTA/LUSA

Boicote às eleições na freguesia de Morgade, em Montalegre

Outros conteúdos GMG
Elisa Ferreira na lista para liderar supervisor europeu dos bancos