Economia

Endividamento do setor não financeiro atinge mínimos em junho

(DR)
(DR)

Em junho, o endividamento do setor não financeiro situava-se nos 721.142 milhões, menos 236 milhões do que no mesmo período do ano passado.

O endividamento do setor não financeiro da economia situava-se em junho em 721,1 mil milhões de euros, semelhante ao do mesmo mês de 2017, mas o mais baixo desde 2010 face ao PIB, segundo dados do Banco de Portugal.

Em junho deste ano, o endividamento do setor não financeiro da economia era de 721.142 milhões de euros, menos 236 milhões de euros do que os 721.378 milhões de euros do mesmo mês do ano passado.

Já face à criação de riqueza, a dívida do setor não financeiro da economia representava em junho 367,67% do Produto Interno Bruto (PIB), o que neste caso representa o valor mais baixo desde final de 2010.

Do total do endividamento do setor não financeiro, em junho deste ano, 318 mil milhões de euros respeitavam ao setor público (ligeiramente abaixo do valor de junho de 2017) e 403,1 mil milhões ao setor privado (pouco acima do valor do mês homólogo de 2017).

Já face a final de 2017, o endividamento do setor não financeiro aumentou 5,3 mil milhões de euros, segundo a nota estatística divulgada esta quarta-feira pelo Banco de Portugal, que atribui o comportamento “ao acréscimo do endividamento do setor público”.

Já o setor privado diminuiu o endividamento (em 100 milhões de euros), devido à queda de 600 milhões de euros do endividamento das empresas e ao incremento do financiamento dos particulares 500 milhões de euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A presidente do Conselho das Finanças Públicas, Teodora Cardoso. TIAGO PETINGA/LUSA

Teodora Cardoso alerta para controlo da despesa na saúde

No segundo trimestre deste ano, o aeroporto de Lisboa movimentou 7,7 milhões de passageiros.

Aeroporto de Lisboa recebe mais de 7 milhões de turistas no segundo trimestre

António Ramalho (Novo Banco), Luís Pereira Coutinho (Banco Postal), Nuno Amado (BCP) e António Vieira Monteiro (Santander Totta). Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Transferências bancárias imediatas sim, mas com custos

Outros conteúdos GMG
Endividamento do setor não financeiro atinge mínimos em junho