banco

Espanha. Popular quer cortar 300 balcões e 3 mil trabalhadores

Fotografia: REUTERS/Juan Medina
Fotografia: REUTERS/Juan Medina

Plano de reestruturação do banco foi já reencaminhado aos sindicatos, diz o Popular

O plano de reestruturação do banco Popular começou a ganhar forma, com a instituição financeira espanhola a comunicar hoje ao mercado que quer fechar 300 balcões e a redução de cerca de 3 mil trabalhadores. Nas localidades com menor população, poderão ser limitados os dias de abertura.

O corte nos quadros pode incluir pré-reformados, tendo o banco comunicado que tem 1700 funcionários com mais de 59 anos. “Esta proposta tem como objetivo melhorar a rentabilidade e eficiência da instituição”, frisa o Popular.

O anúncio dos cortes surge pouco tempo depois de Pedro Larena ter assumido a liderança do banco, como conselheiro delegado. Em junho o banco tinha realizado um aumento de capital de 2, 5 mil milhões de euros. Antes da sua nomeação, Larena suspendeu a venda da banca de investimento.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O presidente do Novo Banco, António Ramalho, discursa na cerimónia de lançamento do Projeto de Divulgação Cultural do Novo Banco. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Banca custou ao Estado mais 1,5 mil milhões de euros em 2019, agora ajude

coronavirus portugal antonio costa

Proibidos ajuntamentos com mais de cinco pessoas. Aeroportos encerrados

O primeiro-ministro, António Costa, fala aos jornalistas no final da reunião do Conselho de Ministros após a Assembleia da República ter aprovado o decreto do Presidente da República que prolonga o estado de emergência até ao final do dia 17 de abril para combater a pandemia da covid-19, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 2 de abril de 2020. 
 MÁRIO CRUZ/POOL/LUSA

Mapa de férias pode ser aprovado e afixado mais tarde do que o habitual

Espanha. Popular quer cortar 300 balcões e 3 mil trabalhadores