cartão de crédito

Este banco perdoou as dívidas dos cartões de crédito dos clientes

REUTERS/Brendan McDermid
REUTERS/Brendan McDermid

O anúncio apanhou os clientes de surpresa. Alguns ficaram em choque ao perceber que já não tinham de pagar os milhares de dólares que deviam.

O norte-americano Chase Bank decidiu perdoar todas as dívidas de cartões de crédito dos clientes canadianos.

O banco, detido pelo JP Morgan & Chase, decidiu sair do mercado de cartões de crédito canadiano e encerrar todas as contas a partir de março de 2018. Os clientes iriam continuar a fazer os pagamentos dos cartões.

Agora, o banco decidiu perdoar todas as dívidas relativas aos cartões. Os clientes com dívidas pendentes em junho deste ano já não têm de pagar nada.

O banco não divulgou o montante do perdão nem quantos clientes foram alvo desta oferta.

A prenda apanhou os clientes de surpresa. Alguns ficaram chocados ao ver as suas dívidas apagadas pelo banco. Foi o que aconteceu com Paul Adamson, de 43 anos, residente em Ontário, que estranhou ver o seu saldo do cartão de crédito a zeros. Ligou para o banco e foi informado que a sua dívida de cerca de 1.645 dólares (1.454 euros) estava paga e não devia nada.

“Fiquei um pouco confuso e um pouco céptico com a resposta”, afirmou à The Canadian Press, citado pela Bloomberg. Uma carta que recebeu do banco um dia depois confirmou que a dívida estava perdoada.

“É uma loucura”, disse Douglas Turner, um motorista de pesados de 55 anos, à Canadian Broadcasting Corporation, citado pela Reuters. “Isto não acontece com cartões de crédito. Os cartões de crédito são histórias de terror”.

Nota: este artigo foi publicado inicialmente a 11 de agosto.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Turistas passeiam na baixa de Quarteira dia 19 de março de 2020. (LUÍS FORRA/LUSA)

Desemprego no Algarve triplica em maio por quebras no turismo

(MANUEL DE ALMEIDA/LUSA)

OE Suplementar: Oposição levou 263 propostas a votação, passaram 35

O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, João Leão (D), durante o debate e votação da proposta do orçamento suplementar para 2020, na Assembleia da República, em Lisboa, 17 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

O Orçamento Suplementar em 5 minutos

Este banco perdoou as dívidas dos cartões de crédito dos clientes