cpi cgd

Filipe Pinhal: “Berardo foi o presidente do BCP entre 2008 e 2012”

O ex-administrador do BCP, Filipe Pinhal, fala perante a II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco na Assembleia da República em Lisboa. TIAGO PETINGA/LUSA
O ex-administrador do BCP, Filipe Pinhal, fala perante a II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco na Assembleia da República em Lisboa. TIAGO PETINGA/LUSA

O antigo presidente do BCP afirmou que era difícil contrariar Berardo e que poder do empresário beneficiava José Sócrates.

Filipe Pinhal defende que José Berardo foi o verdadeiro líder do BCP entre 2008 e 2012 e que não havia quem afrontasse aquele que era, na altura, um dos homens mais poderoso do país. “De 2008 a 2012 o presidente do BCP foi o senhor Berardo”, afirmou o antigo presidente do BCP esta terça-feira numa audição na Comissão Parlamentar de Inquérito à gestão da Caixa Geral de Depósitos.

O antigo administrador do BCP referiu que Berardo “foi eleito em maio de 2008 para presidente da comissão de remuneração” do banco. Acrescentou que nesse órgão “fazia parte como vogal Luís Champalimaud que era presidente do Conselho Geral e de Supervisão”. Recordou ainda que Carlos Santos Ferreira, que saiu diretamente da CGD para o BCP no início de 2008 “tinha sido empregado de Champalimaud na Mundial Confiança” e que, portanto, “era o empregado a falar com o patrão”.

Pinhal disse que “olhando para o perfil deles, não tenho nenhuma dúvida que Berardo falava grosso a Champalimaud e dizia a Carlos Santos Ferreira o que ele quer é isto”. Acrescentou que Carlos Santos Ferreira não se atrevia a enfrentar Berardo porque sabia que tinha sido o empresário madeirense a colocá-lo no BCP.

Já do lado da CGD, também não havia oposição a Berardo, segundo Filipe Pinhal. Sabiam “a metralha que Berardo podia fazer no jornal das 9. Metralhava sobre quem quisesse”, diz o antigo responsável do BCP.

Filipe Pinhal conclui que esse poder de Berardo, “convinha muito a quem queria controlar BCP, não tenho dúvida”. E sugere que era Sócrates que influenciava o empresário madeirense. “Que Berardo era devedor de Sócrates por causa da coleção, não tenho dúvida nenhuma. O resto são deduções”, conclui.

Filipe Pinhal entrou no BCP em 1985, data da constituição do banco. Entrou na administração em 1988 e foi presidente executivo entre setembro e dezembro de 2007, sucedendo a Paulo Teixeira Pinto.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

LUÍS FORRA/LUSA

Dia 7. Patrões e motoristas divididos por 50 euros

Motoristas em greve junto à saída da sede da Companhia Logística de Combustíveis (CLC), em Aveiras de Cima, durante a greve por tempo indeterminado dos motoristas de matérias perigosas e de mercadorias, Azambuja, 16 de agosto de 2019. Portugal está, desde sábado e até às 23:59 de 21 de agosto, em situação de crise energética, decretada pelo Governo devido a esta paralisação, o que permitiu a constituição de uma Rede de Emergência de Postos de Abastecimento (REPA), com 54 postos prioritários e 320 de acesso público. TIAGO PETINGA/LUSA

Greve dos motoristas: atenções voltadas para plenário de trabalhadores

Outros conteúdos GMG
Filipe Pinhal: “Berardo foi o presidente do BCP entre 2008 e 2012”