banca

Fitch melhora rating do BCP

Miguel Maya, CEO do BCP Fotografia: António Pedro Santos /LUSA
Miguel Maya, CEO do BCP Fotografia: António Pedro Santos /LUSA

Fitch sublinhou melhoria da rentabilidade do banco e a redução dos ativos problemáticos.

A agência Fitch melhorou o rating do BCP de longo prazo de BB- para BB, com um ‘outlook’ (perspetiva) estável, segundo um comunicado do banco à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários(CMVM). Fica a dois níveis de sair de uma classificação vista como lixo pelos investidores.

“O Viability Rating foi também melhorado de bb- para bb, refletindo os ‘fundamentals’ mais fortes do BCP, resultado em particular da melhoria da rendibilidade operacional e do progresso significativo na redução do stock de ativos problemáticos”, lê-se na mesma nota.

Foram várias as alterações de rating à banca portuguesa comunicadas nos últimos dias.

A Moody’s manteve as notações que tinha dado às instituições portuguesas, mas com um alerta devido à “implementação de um novo enquadramento legal” que dá preferência aos depositantes sobre os investidores em caso de resolução.

Para a agência de ‘rating’, caso as alterações à lei sejam aprovadas, a futura insolvência de bancos poderá ser mais aparatosa e isso resultar em “‘ratings’ mais baixos para a dívida portuguesa sénior não garantida e por isso a Moody’s mudou o ‘outlook’ para negativo nestes instrumentos, em muitos casos”.

No caso do BCP, a Moody’s reafirmou os ‘ratings’ para os mesmos instrumentos em Ba3, com um ‘outlook’ que se mantém positivo, no caso dos depósitos. Para a dívida, a avaliação mudou de positiva para ‘em desenvolvimento’.

Também o Santander deu conta de alterações nos ‘ratings’. A Fitch manteve o ‘rating’ da dívida de longo prazo em BBB+ e melhorou o ‘rating’ de viabilidade de bb+ para bbb-. Já a DBRS reafirmou os ‘ratings’ de longo prazo do Santander Totta em ‘A’.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral Depósitos CGD Juros depósitos

Caixa perdeu 1300 milhões com créditos de grandes devedores

Ursula von der Leyen foi o nome nomeado para presidir à Comissão Europeia. (REUTERS/Francois Lenoir)

Parlamento Europeu aprova Von der Leyen na presidência da Comissão

Christine Lagarde, diretora-geral demissionária do FMI. Fotografia: EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA

Christine Lagarde demite-se da liderança do FMI

Outros conteúdos GMG
Fitch melhora rating do BCP