banca

Gestão de imóveis do Novo Banco passa para empresa da Lone Star

O Novo Banco passou a gestão dos seus bens imobiliários, qualquer coisa como nove mil imóveis, para a gestão da Hudson Advisors, empresa com sede em Dallas, nos EUA, e chefiada por John Graykeno, o fundador e presidente da Lone Star.

A notícia é avançada esta sexta-feira pelo jornal Público, que destaca que o contrato de gestão prevê que “o património se mantenha registado no balanço do Novo Banco, sendo gerido e rentabilizado pelo veículo texano com vista à sua venda”. O que implica cobrança de comissões pelo trabalho prestado mas, também, em caso de venda posterior com mais-valias associadas.

A instituição bancária justifica que a Hudson Advisors foi contratada, na sequência da compra do Novo Banco pela Lone Star, para “monitorizar e apoiar o plano de recuperação do banco”, sendo que o contrato impede transações entre as empresas Lone Star e o Grupo Novo Banco, exceto no caso de contratos até um valor máximo de 7,5 milhões de euros. Sem entrar em pormenores, o Novo Banco confirma a existência de dois contratos com a Hudson Advisors, “um para a prestação de serviços de assistência e aconselhamento em matérias imobiliárias e outro de serviços gerais em matérias financeiras e estratégicas”.

Recorde-se que a Lone Star comprou, em outubro, 75% do Novo Banco. Não pagou qualquer valor por esta participação, mas injetou mil milhões de euros de capital. A rentabilização dos ativos imobiliários é a forma da Lone Star recuperar parte do que investiu.

 

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação do Orçamento do Estado para 2019. 16 de outubro de 2018. REUTERS/Rafael Marchante

Bruxelas envia carta a Centeno a pedir o triplo do esforço orçamental

lisboa-pixabay-335208_960_720-754456de1d29a84aecbd094317d7633af4e579d5

Estrangeiros compraram mais de mil imóveis por mais de meio milhão de euros

João Galamba (secretário de estado da energia) , João Pedro Matos Fernandes (Ministro para transição energética) e António Mexia  (EDP) durante a cerimonia de assinatura de financiamento por parte do Banco Europeu de Investimento (BEI) da Windfloat Atlantic. Um projecto de aproveitamento do movimento eólico no mar ao largo de Viana do Castelo.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Mexia diz que EDP volta a pagar a CESE se governo “cumprir a sua palavra”

Outros conteúdos GMG
Gestão de imóveis do Novo Banco passa para empresa da Lone Star