Lesados do BES

Lesados do BES manifestam-se hoje na Avenida dos Aliados, no Porto

Lesados do BES
Lesados do BES

O protesto é o terceiro deste ano e está agendado para as 11 horas nas imediações do balcão do Novo Banco e do Banco de Portugal, nos Aliados.

Um grupo de lesados do antigo Banco Espírito Santo (BES) concentra-se esta terça-feira na Avenida dos Aliados, no Porto, para exigir receber a totalidade do dinheiro através da provisão criada para reembolsar clientes.

O protesto é o terceiro deste ano e está agendado para as 11:00 nas imediações do balcão do Novo Banco e do Banco de Portugal, nos Aliados, e deverá prolongar-se até às 17:00.

Os clientes alertam que a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) “não honrou o que disse ao aprovar um fundo para indemnizar os lesados do BES” que, “vai apenas permitir indemnizar em 50% ou 75% os clientes roubados com informação falsa, que tinham os seus créditos garantidos com provisões”.

“Infringem-nos perdas além dos anos de privação forçada daquilo que nos foi extorquido e nos pertence, continuam a causar danos morais, mortes e penhoras sabendo que somos vítimas de burla e que o Novo Banco trabalha impunemente há quatro anos com a provisão que nos pertence”, alertam os lesados.

Para os clientes, “isto é inaceitável, inconcebível e não visto em mais nenhum país da União Europeia”.

“O que nos estão a fazer é absolutamente deplorável é inaceitável e uma vergonha”, pelo que encaminharam nova queixa para o Parlamento Europeu a apelar por justiça, revelam.

O BES, tal como era conhecido, acabou em 03 de agosto de 2014, quatro dias depois de apresentar um prejuízo semestral histórico de 3,6 mil milhões de euros.

O Banco de Portugal, através de uma medida de resolução, tomou conta da instituição fundada pela família Espírito Santo e anunciou a sua separação, ficando os ativos e passivos de qualidade num ‘banco bom’, denominado Novo Banco, e os passivos e ativos tóxicos no BES, o ‘banco mau’ (‘bad bank’), sem licença bancária.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Trump Xi China

Trump ameaça Pequim e ordena às empresas: “saiam da China”

Emmanuel Macron, presidente francês. Fotografia: Direitos Reservados

Fogos na Amazónia: França e Irlanda ameaçam bloquear acordo com Mercosul

O ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, intervém durante uma conferência de imprensa para fazer o ponto de situação sobre a crise energética, no Ministério do Ambiente e da Transição Energética, em Lisboa, 13 de agosto de 2019. JOÃO RELVAS / LUSA

Ministro do Ambiente: “Há cada vez mais condições” para que greve não aconteça

Outros conteúdos GMG
Lesados do BES manifestam-se hoje na Avenida dos Aliados, no Porto