banca

Lucro do Banco BiG sobe para 52,3 milhões em 2017

Carlos Rodrigues, presidente executivo do BiG. Fotografia: Diana Quintela/Global Imagens
Carlos Rodrigues, presidente executivo do BiG. Fotografia: Diana Quintela/Global Imagens

O Banco de Investimento Global registou um aumento de 20% no seu lucro líquido em 2017, para 52,3 milhões de euros.

O Banco de Investimento Global (BiG) registou um aumento de 20% no seu lucro líquido em 2017, para 52,3 milhões de euros, suportado no crescimento de 37% do produto bancário, anunciou o banco.

“Os resultados de 2017 refletem um melhor desempenho nos dois principais negócios do BiG: Tesouraria e Mercado de Capitais, e Weatlh Management & Advisory, que registaram ambos um aumento significativo de receitas”, explica o BiG em comunicado divulgado esta segunda-feira.

O produto bancário atingiu os 103,7 milhões de euros mas a margem financeira recuou para 15,9 milhões de euros. As comissões líquidas aumentaram para 10,5 milhões de euros face a 7,6 milhões de euros em 2016.

Os resultados de operações financeiras líquidas cresceram para 78,4 milhões de euros face a 44,3 milhões de euros.

“O enquadramento em 2017 permitiu um ligeiro crescimento de activos e uma subida de cerca de 20% dos resultados líquidos, com um aumento de liquidez e melhorias nalguns ratings de crédito, que resultaram, por sua vez numa escassez de oportunidades de aquisição de activos que proporcionassem níveis de retorno adequados”, afirma Carlos Rodrigues, presidente e CEO do banco, citado no mesmo comunicado.

“Durante o ano, o BiG manteve o foco na preservação de capital e disciplina relativamente ao volume do Balanço, e aos riscos de crédito e de mercado associados”, adianta.

A rendibilidade dos capitais próprios médios do banco, melhorou para 17,3% em 2017 de 16,1% no ano anterior.

O rácio core Tier 1 foi de 45,1%, face a 31,6% em 2016. O rácio de cobertura de liquidez subiu para 312% de 228% em 2016.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Foto: DR

Telecomunicações: Há sete anos que preços sobem mais do que na UE

Fotografia: RODRIGO ANTUNES/LUSA

Acordo à vista para alargamento das 35 horas a 30 mil trabalhadores

31145227_GI240418JF040_WEB

Ryanair tem até 30 de junho para travar greve europeia

Outros conteúdos GMG
Lucro do Banco BiG sobe para 52,3 milhões em 2017