Millennium bcp

Microcrédito é cada vez mais um mecanismo de inclusão

A carregar player...
Microcrédito é cada vez mais um mecanismo de inclusão

O microcrédito é cada vez mais uma ferramenta de inclusão, defendeu ontem António Mendes Batista, presidente da Associação Nacional de Direito ao Crédito (ANDC).

Na data em que a Europa comemorou o Dia Europeu da Microfinança, o Millennium bcp e a ANDC organizaram a conferência “Microfinança um caminho para o empreendedorismo”, uma forma de assinalar a data e, ao mesmo tempo, um pretexto para falar sobre um tema que os organizadores consideram cada vez mais necessário.

A carregar player...
Microcrédito é cada vez mais um mecanismo de inclusão

“A nossa primeira preocupação não são os negócios em si, mas as pessoas neles envolvidas. Estamos no campo dos que são excluídos da competitividade, excluídos da cidadania económica“, assinalou António Mendes Batista.

A importância do microcrédito é, segundo João Fezas Vital, responsável pelo Departamento de Microcrédito do Millennium bcp, uma questão transversal a todas as esferas da sociedade. “Até que ponto a microfinança não tem algo a dizer, por exemplo, na questão da crise dos refugiados?” questionou.

Desde 1999, ano da criação do programa de microcrédito do Millennium bcp, o banco já apoiou a criação de 3369 empresas e de 5204 postos de trabalho, e financiou negócios no valor de 30,9 milhões de euros, de acordo com a informação avançada ontem pelo banco. Entre os que foram financiados ao longo dos anos, há projetos de vários setores de atividade e fazedores de todas as idades e formações. “Cada vez mais temos pessoas que ficaram desempregadas e veem num negócio próprio uma alternativa ou a concretização de um sonho de vida, disse Ana Torres, diretora coordenadora da gestão do retalho sul do Millennium bcp.

Já Edgar Costa, gestor operacional da ANDC, que segue de perto muitos dos projetos a que a associação dá assistência, sublinhou que os microempresários são a principal razão do trabalho da instituição. No mundo, existem mais de três instituições que trabalham na área da microfinança e do microcrédito, das quais apenas 89 são europeias. “Todos os dias nos interrogamos sobre a utilidade do nosso trabalho. Uma das chaves da nossa ação é agirmos em proximidade, indo encontro dos candidatos, conhecendo-os e ensinando-os a valorizar o que têm de melhor”, sublinhou.

João Fernandes, coordenador nacional do Programa +e+i do IAPMEI, assegura que o microfinanciamento é fundamental para o caminho dos pequenos empreendedores e dos projetos com percursos ainda curtos. Não basta ter dinheiro, é preciso apoiar. E é preciso que esses apoios sejam gratuitos.

Acreditamos também que este apoio deve ser de proximidade. Temos de continuar a ter capacidade de ir apoiando os negócios ao longo da vida”, esclareceu. Essa foi uma das características que Tó Zé Rodrigues, responsável pela Oficina da Música de Aveiro (OMA), projeto que saiu vencedor na categoria Dinamismo e Inovação, sublinhou a respeito das vantagens do apoio a nível do microcrédito concedido pelo Millennium bcp. “A questão da proximidade não é uma mentira, é verdade. E essa é uma das claras vantagens deste programa”, assinalou o empreendedor.

Finalistas

Entre 300 candidaturas, o Millennium escolheu seis

Oficina Música de Aveiro

Zé Tó Rodrigues dedicou a vida à música e, desde 1997, era professor nesta escola. No último ano, a vida mudou e, com o apoio do microcrédito, assumiu a liderança do projeto da OMA, que cria e cruza a música com outras artes.

Mercearia d”Avó Micas

Aos 20 anos, Cristiano Bernardino criou um espaço onde a população do Entroncamento pode comprar produtos de mercearia mas também tomar um café ou comer uma refeição, o espaço está numa zona habitacional.

Pneusecotyre

Lucília Fernandes decidiu deixar o trabalho na restauração hoteleira e dedicar–se à comercialização de pneus. O conceito tem como objetivo dinamizar e alavancar novos serviços: comercialização e prestação de serviços.

Bananihorta

Seguindo a tradição familiar, João Pereira dedica-se à agricultura e junta a experiência do pai à sua formação. Produz banana da Madeira, alface e milho, entre outros, numa exploração agrícola com 10 000m2, no Funchal.

Clube do Hambúrguer

O projeto distingue-se por associar a venda de hambúrgueres artesanais à gastronomia típica portuguesa. Abdelali Fakhri, 49 anos, juntou os conhecimentos de restauração à experiência em turismo e lazer para abrir o espaço.

Ginásio Álvaro Anjos

O ginásio em Massamá funciona apenas com aulas particulares dadas por Álvaro Anjos. A isso juntam-se outras valências: fisioterapia, massagens, terapia da fala. Neste momento, o horário está preenchido na totalidade.

A carregar player...
Microcrédito é cada vez mais um mecanismo de inclusão

Millennium distingue melhores projetos

Com o objetivo de reconhecer a criatividade e a qualidade das ideias de negócio dos microempreendedores que se candidataram ao prémio, o Millennium bcp anunciou ontem, ao final da tarde, os vencedores nas duas categorias em jogo. Na categoria Dinamismo e Inovação, o projeto da escola de música de Zé Tó Rodrigues saiu vencedor. O fazedor disse não ter ficado surpreendido com a distinção. “Estava à espera deste prémio”, brincou. Na categoria Melhor Execução, o projeto agrícola do madeirense João Pereira, a Bananihorta, saiu vencedor entre os três finalistas. O vencedor de cada uma das categorias recebeu um prémio de 5000 euroseuro. Foram atribuídas quatro menções honrosas de mil euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: Mário Cruz/Lusa

Investimento público dispara à boleia de estradas e gastos militares

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Microcrédito é cada vez mais um mecanismo de inclusão