Miguel Maya

Miguel Maya: “Terá que haver correcção no imobiliário. Mas não antecipo traumas”

Fotografia: António Pedro Santos / Lusa
Fotografia: António Pedro Santos / Lusa

O presidente do BCP, Miguel Maya, afastou o cenário de uma bolha no setor imobiliário.

Os preços do imobiliário estão a subir. Provavelmente terá de existir uma correção. Mas nada que seja traumático, segundo Miguel Maya. O presidente executivo do BCP reconhece que “em Portugal pode haver algumas situações específicas de maior aquecimento”. Prevê que “terá que haver alguma correção mas não antecipo nenhum trauma”.

Miguel Maya disse que não considera que exista uma bolha imobiliária. Explica que em Portugal o mercado imobiliário passou de local a internacional. “Há um conjunto vasto de investidores que querem comprar imobiliário em Portugal”, disse. Defendeu que “Portugal está na moda e que isso é novo”.

Em relação às regras do Banco de Portugal para a concessão de crédito, Miguel Maya disse que “têm sempre impacto”. Mas realçou que “estamos a fazer as coisas bem feitas” e que “o impacto é pequeno porque já tínhamos critérios rigorosos”. Disse que “estamos a cumprir e apreciamos que o regulador tenha preocupação com a sustentabilidade”.

O presidente executivo do BCP diz que o banco tem privilegiado mais o crédito a empresas do que a particulares.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Dos blueprints  dos primeiros automóveis, ao topo dos carros elétricos atuais, de elon Musk, em homenagem, a Nikolas Tesla.
Ilustração: VITOR HIGGS

Automóvel. Em 20 anos do euro mudou tudo, menos a carga fiscal e o líder

João Vieira Lopes, presidente da Confederação do Comércio e Serviços.
(Jorge Amaral/Global Imagens)

Vieira Lopes: “Metas do governo são realistas mas é preciso investimento”

A EDP, liderada por António Mexia, vai pagar o maior cheque de dividendos da bolsa nacional.

PSI20. Menos lucros mas o mesmo prémio aos acionistas

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Miguel Maya: “Terá que haver correcção no imobiliário. Mas não antecipo traumas”