Dinheiro

Monese lança serviço de cofres para guardar euros ou libras

Norris Koppel, fundador da Monese. Foto: D.R.
Norris Koppel, fundador da Monese. Foto: D.R.

Os clientes podem fazer e agendar pagamentos automáticos e recorrentes para o seu cofre.

A fintech Monese lançou um novo serviço de cofres para guardar dinheiro em euros ou libras.

O serviço está disponível para particulares e empresas que são clientes da Monese e não exige um valor mínimo de abertura, segundo o comunicado da empresa divulgado esta quinta-feira.

“Esta nova funcionalidade não paga juros mas permite guardar o dinheiro com segurança e em separado das despesas diárias, sendo ideal para economizar para viagens, realização de projetos, aceder a margem para fazer frente a imprevistos ou simplesmente para poupar”, refere o comunicado.

Os clientes podem fazer e agendar pagamentos automáticos e recorrentes para o seu cofre, “criando uma forma ainda mais fácil de poupança”.

“A maioria dos nossos clientes usa a Monese como conta bancária principal, por isso é muito importante proporcionar-lhes estas funcionalidades inteligentes, que lhes permitem gerir livremente as suas finanças”, afirma Norris Koppel, presidente executivo e fundador da Monese, citado no comunicado.

“Queremos que os nossos clientes se sintam ainda mais em controlo do seu dinheiro e os nossos ‘Cofres’ são mais um passo nessa direção”, adianta.

A Monese, uma das novas rivais dos bancos, viu o número de registos triplicar em 2018 e já tem 1 milhão de clientes, beneficiando de um forte crescimento em todos os mercados europeus. Está a conquistar 3.000 clientes por dia. Em Portugal, tem mais de 10 mil clientes.

A financeira disponibiliza contas bancárias totalmente mobile no Reino Unido e na Europa para particulares e pequenos negócios, e está disponível em 31 países.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Empresas com quebras de 25% vão poder pedir apoio à retoma

Lisboa,  29/09/2020 - Ursula Von der Leyen, Presidente da Comissão Europeia.
(Paulo Alexandrino/Global Imagens)

“Temos de ser cuidadosos em relação à dívida, no longo prazo ela terá de descer”

ANTONIO COTRIM/ LUSA

Governo aposta no clima e competências para recuperação – mas sem empréstimos

Monese lança serviço de cofres para guardar euros ou libras