Montepio

Montepio. Associação Mutualista contra Banco de Portugal por causa do nome

O próprio presidente do Caixa Económica já admitiu que poderá haver uma mudança no nome do banco

A Associação Mutualista do Montepio está contra o Banco de Portugal por causa do nome da Caixa Económica. A Associação, liderada por Tomás Correia, diz que a mudança de nome “é algo que não está em cima da mesa. E, se algum dia vier a estar, tratando-se de um assunto de natureza estratégica, teria de ser em aprovado em assembleia-geral”, refere fonte ligada à Associação esta terça-feira ao Jornal de Negócios.

Esta posição é contrária do Governado do Banco de Portugal. A 9 de março, Carlos Costa defendeu a separação das marcas entre a Associação Mutualista e a Caixa Económica. “No sentido de separar as entidades, nós requeremos a separação de marcas”, referiu o Governador quando questionado sobre a venda de produtos da Associação Mutualista nos balcões da Caixa Económica.

A mesma mudança foi admitida por José Félix Morgado, presidente executivo da Caixa Económica. “É um tema que tem de ser estudado porque a marca Montepio tem grande valor de mercado. (…) Parece mais provável que a adaptação seja feita ao nível da caixa económica”, referiu o responsável em entrevista ao Jornal de Negócios a 15 de março.

A entidade liderada por Tomás Correia diz que a venda de produtos da associação está separada dos produtos do banco dentro dos balcões do Montepio, que conta com gestores diferentes. A mesma fonte acrescenta ao Jornal de Negócios que vê “com bons olhos que a vertente financeira da Associação Mutualista seja supervisionada pela Autoridade de Supervisão dos Seguros e Fundos de Pensões”, mas defende que a tutela deve manter-se no Ministério da Segurança Social.

Os associados da Montepio Geral Associação Mutualista (MGAM) votam na quinta-feira as contas da entidade dona do banco Caixa Económica Montepio Geral, em ambiente de grande tensão. A equipa de gestão da Mutualista, liderada por António Tomás Correia, terá de explicar as várias compras e vendas realizadas em 2016.

A Associação Mutualista tem estado debaixo de fogo nas últimas semanas, com notícias a dar conta de riscos e falhas do lado da instituição e também do banco, investigações abertas pelo Banco de Portugal e a revelação de que a Mutualista está em falência técnica, com um capital próprio negativo de 107 milhões de euros.

A reunião magna da Associação Mutualista ocorre no dia seguinte à apresentação dos resultados de 2016 do Caixa Económica Montepio Geral, segundo informação apurada no sábado pelo Dinheiro Vivo. O banco deverá ter registado prejuízos de 80 milhões de euros em 2016, segundo informação divulgada pelo Expresso no sábado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (D), agraciou o empresário, Alexandre Soares dos Santos (E), com a Ordem de Grã-Cruz de Mérito Empresarial, no Palácio de Belém, em Lisboa, 20 de abril de 2017. 

Fotografia: PAULO NOVAIS/LUSA

Morreu Alexandre Soares dos Santos, o senhor Jerónimo Martins (1934 – 2019)

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (D), agraciou o empresário, Alexandre Soares dos Santos (E), com a Ordem de Grã-Cruz de Mérito Empresarial, no Palácio de Belém, em Lisboa, 20 de abril de 2017. 

Fotografia: PAULO NOVAIS/LUSA

Marcelo condecora Soares dos Santos: empresário de “responsabilidade social”

ng3091740

O dono do Pingo Doce sobre o Estado, a crise e a Europa

Outros conteúdos GMG
Montepio. Associação Mutualista contra Banco de Portugal por causa do nome