Montepio

Mutualista Montepio: Estatutos estão aprovados “no essencial”

Fotografia: Sarah Costa/Global Imagens
Fotografia: Sarah Costa/Global Imagens

O presidente da Mutualista espera que até ao final deste ano se possa realizar-se uma assembleia-geral para eleger a Assembleia de Representantes.

A Direção-Geral da Segurança Social já aprovou os novos estatutos da Associação Mutualista Montepio Geral mas com “caráter provisório”.

A alteração dos estatutos da maior mutualista do país foi aprovada no final de 2019, ainda estava António Tomás Correia na liderança da dona do Banco Montepio. Associados da Mutualista contestaram os novos estatutos, por, alegadamente, violarem o próprio Código das Mutualistas que entrou em vigor em 2018 e reduzirem a participação democrática dos associados na Associação.

“Os estatutos no essencial estão aprovados”, disse Virgílio Lima, presidente da Associação Mutualista Montepio Geral esta quarta-feira num encontro com jornalistas na sede da instituição, em Lisboa.

“Aguardamos a confirmação e o efetivo registo com este caráter provisório. Não estão em causa situações maiores”, garantiu Lima.

Adiantou que espera que até ao final deste ano possa haver a assembleia-geral de associados para concluir as alterações necessárias e eleger a Assembleia de Representantes, que é o novo órgão de supervisão da Associação Mutualista.

Os associados da Associação Mutualista Montepio Geral aprovaram na terça-feira os resultados relativos a 2019, com 89,09% dos presentes a votar favoravelmente as contas da dona do Banco Montepio.

A Associação Mutualista registou prejuízos de 408,8 milhões de euros em 2019, sobretudo devido ao reforço das imparidades para o seu banco. O resultado compara com um lucro de 1,6 milhões de euros de 2018.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Foto: EPA/PATRICK SEEGER

Bruxelas dá luz verde a Banco Português de Fomento

Exemplo de ouro numa loja de câmbio em Klaaswaal, Países Baixos. (EPA/ROBIN VAN LONKHUIJSEN)

Ouro atinge recorde e excede os 2 mil dólares

Centenas de turistas visitam todos os dias os jardins do Palácio de Cristal, no Porto. Fotografia: Leonel de Castro/Global Imagens

FMI: Portugal com perdas acima de 2% do PIB devido à quebra no turismo

Mutualista Montepio: Estatutos estão aprovados “no essencial”