Seguros

Novas regras nos seguros vão ser positivas para os consumidores

A Associação Portuguesa de Seguradores realizou na Faculdade de Direito de Lisboa, as Jornadas "Novo regime de distribuição de seguros - Visão global do regime".
José Galamba de Oliveira, Orlando dos Santos Nascimento e Pedro Romano Martinez
(Jorge Amaral / Global Imagens)
A Associação Portuguesa de Seguradores realizou na Faculdade de Direito de Lisboa, as Jornadas "Novo regime de distribuição de seguros - Visão global do regime". José Galamba de Oliveira, Orlando dos Santos Nascimento e Pedro Romano Martinez (Jorge Amaral / Global Imagens)

O novo regime de distribuição de seguros vai trazer vantagens para os consumidores.

As regras para a distribuição de seguros vão mudar e o novo regime deverá trazer vantagens para os consumidores. Isto apesar de ainda existirem dúvidas jurídicas sobre alguns pontos do Projeto de Lei para a venda de seguros. Foram as principais conclusões das Jornadas sobre o novo regime de distribuição de seguros, realizadas esta quinta-feira na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

A iniciativa contou com a presença de professores de Direito e de responsáveis de seguradoras portuguesas. A visão mais consensual foi de que o novo regime irá beneficiar os consumidores já que pretende travar a venda inadequada de seguros.

Apesar disso, houve um ponto da legislação que motivou a oposição tanto de juristas como de líderes das seguradoras: a forma como a Lei define os poderes de representação de agentes e mediadores de seguros. Considerou-se que a atribuição desses poderes não é clara. Também a categorização das seguradoras como distribuidores motivou discordância por parte de alguns responsáveis do setor.

As Jornadas sobre o novo regime de distribuição de seguros resultaram de um protocolo assinado esta quinta-feira entre a Associação Portuguesa de Seguradores, o Instituto de Direito Privado da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa e o Instituto de Direito Bancário da Bolsa e dos Seguros, da Universidade de Coimbra. O objetivo é aprofundar o estudo, o desenvolvimento da investigação e a divulgação do conhecimento técnico-científico sobre temas de Direito dos Seguros.

No âmbito do protocolo ficou ainda o compromisso de criar um prémio para o melhor estudo ou trabalho de investigação na área do Direito dos Seguros, a realizar em cada uma das escolas.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Carlos Costa, Governador do Banco de Portugal. Fotografia: Gustavo Bom / Global Imagens

Carlos Costa avisa para riscos de euforia no mercado imobiliário

Faria de Oliveira, presidente da APB. Fotografia: Diana Quintela/Global Imagens)

Faria de Oliveira: Banca nacional teve legislação mais difícil que pares da UE

Imobiliário

Venda de casas subiu 20% no primeiro semestre

Outros conteúdos GMG
Novas regras nos seguros vão ser positivas para os consumidores