banca

Novo Banco inicia venda de imóveis por 700 milhões

António Ramalho, presidente do Novo Banco. Fotografia: D.R.
António Ramalho, presidente do Novo Banco. Fotografia: D.R.

O designado Project Viriato pretende alienar um portefólio de 9.000 imóveis por 700 milhões de euros. As propostas devem ser anunciadas até outubro.

O Novo Banco já deu início ao “Project Viriato”, para avançar com o processo de venda de um portefólio de 9.000 imóveis, que representam mais de 700 milhões de euros, anunciou a agência de notícias financeiras Debtwire. Segundo o Jornal de Negócios desta quarta-feira, o banco convidou a Anchorage Capital Partners, o Bain Capital Credit e o Arrow Global Group a apresentarem ofertas até ao início de outubro.

A maioria dos imóveis deste portefólio estão situados em Lisboa e Porto, sendo que cerca de metade são residenciais, um quarto são imóveis comerciais e os restantes são terrenos. O valor médio por cada um dos ativos em imobiliário é de 77.778 euros. Estes imóveis não estratégicos que o Novo Banco quer alienar valem, em termos líquidos, 2.361 milhões de euros. Assim, os 9.000 imóveis representam 30% do total, ou seja, 700 milhões de euros.

O Novo Banco já tinha anunciado outra operação, desta vez para indicar a venda de crédito malparado – o “Project Nata”. Segundo a Debtwire, o Novo Banco já arrancou a semana passada com a venda de 1,75 mil milhões de euros, ou seja 19,8% do total de crédito malparado do banco.

O Novo Banco terminou o primeiro semestre com prejuízos de 231,2 milhões de euros, uma melhoria de 20,4% face aos 290,3 milhões de perdas registadas no mesmo semestre do ano passado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
(Fotografia: Pedro Granadeiro / Global Imagens )

Vendas de carros descem 71,6% em maio

O primeiro-ministro, António Costa. Fotografia: António Cotrim/Lusa

PIB pode registar quebra entre 9% a 15% em 2020

Lisboa, 25/05/2016 - Aspecto do Palco Mundo, durante uma reportagem do Diário de Notícias sobre o que acontece nos dias em que no Festival Rock in Rio não há concertos.

( Gustavo Bom / Global Imagens )

APSTE: Setor dos eventos com prejuízos de 20 milhões no segundo trimestre

Novo Banco inicia venda de imóveis por 700 milhões