Futuro da Banca

Banco de Portugal recebeu cinco propostas para o Novo Banco

Fotografia:
Igor Martins / Global Imagens
Fotografia: Igor Martins / Global Imagens

BCP, o fundo Lone Star e a Apollo/Centerbridge mas também BPI e o chinês Minsheng terão avançado com propostas. BdP quer fechar venda até fim do ano

O Banco de Portugal recebeu cinco propostas no âmbito dos dois procedimentos de venda do Novo Banco em curso, confirmou a instituição em comunicado divulgado esta noite. O prazo para a entrega das propostas terminou hoje às 17h.

“Terminou hoje, às 17h00, o prazo previsto para os investidores que cumprem os critérios de elegibilidade para o processo de venda do Novo Banco iniciado a 15 de janeiro de 2016 entregarem as suas propostas”, aponta o banco central.

Segundo a nota divulgada, o BdP “recebeu cinco propostas no âmbito dos dois procedimentos de venda – Procedimento de Venda Estratégica e Procedimento de Venda em Mercado –, cuja análise agora se inicia à luz dos critérios estabelecidos nos respetivos cadernos de encargos, divulgados no passado mês de abril”.

O supervisor bancário, porém, nada diz sobre as entidades que apresentaram, nem quantas propostas foram feitas para cada modelo de venda.

Segundo o Dinheiro Vivo conseguiu apurar ao longo desta sexta-feira, o BCP, o fundo Lone Star e o consórcio Apollo/Centerbridge terão avançado com propostas pelo Novo Banco. O BCP avançou com a mesma carta de intenções que apresentou ao Banco de Portugal no final de junho e onde não definia um preço, tal como já tinha noticiado o Dinheiro Vivo, o que deverá colocar o banco liderado por Nuno Amado numa situação de desvantagem face aos concorrentes. Além destes concorrentes, também o BPI e o China Minsheng terão avançado com propostas.

Segundo avança o jornal digital “Eco”, as propostas apresentadas por BCP, BPI e pelos fundos norte-americanos visam a compra do banco e a proposta da Minsheng a venda em mercado.

A decisão sobre o modelo de venda só será tomada depois de analisadas as propostas finais pelo Novo Banco. O tempo de análise, apurou o Dinheiro Vivo, depende da natureza e da complexidade das propostas. O objetivo é fechar o dossier até ao final do ano.

Notícia atualizada às 19h55

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fernando Medina, presidente da Câmara de Lisboa, durante a inauguração das Escadinhas da Saúde rolantes, ao Martim Moniz. Fotografia: Nuno Pinto Fernandes/Global Imagens

Crescimento do turismo em 2019 é o mais baixo desde a última crise

Miguel Maya, presidente executivo do Millennium BCP.
JOÃO RELVAS/LUSA

Bancos ganharam mais de 5,2 milhões por dia

Miguel Maya, presidente executivo do Millennium BCP, durante a conferência de imprensa de apresentação dos resultados do 1.º trimestre de 2019, Lisboa, 9 de maio de 2019. JOÃO RELVAS/LUSA

BCP vai fazer uma proposta de distribuição de dividendos “muito conservadora”

Banco de Portugal recebeu cinco propostas para o Novo Banco