Futuro da Banca

Novo Banco. Sindicato preocupado com Lone Star

Os trabalhadores estão preocupados com a segunda fase do plano de reestruturação

O Sindicato dos Trabalhadores da Atividade Financeira (SINTAF) mostrou-se preocupado com as negociações entre o Banco de Portugal (BdP) e o fundo norte-americano Lone Star para a venda do Novo Banco, depois de na terça-feira a administração ter revelado uma nova redução de pessoal, entre 250 a 350 pessoas, totalizando 1500 pessoas até ao final de junho de 2016. O sindicato defende também a nacionalização da instituição.

Em comunicado, o sindicato aponta o dedo ao fundo que está em negociações exclusivas para comprar o Novo Banco, dizendo que a sua “atuação a nível mundial demonstra claramente a sua génese predadora, necrófaga e especulativa e não augura nada de bom para os trabalhadores, não havendo qualquer garantia de não aplicação de um novo plano de reestruturação”.

“Só com a nacionalização do Novo Banco se pode garantir a continuidade dos postos de trabalho, bem como a estabilidade da economia portuguesa, colocando na esfera pública o terceiro maior banco do país”, acrescenta o comunicado.

O Banco de Portugal aconselhou o Governo a encetar negociações exclusivas com o fundo norte-americano, que entregou, ao que apurou o Dinheiro Vivo, uma proposta melhorada. Segundo as informações que têm vindo a ser vinculadas o Estado ficará com 25%, o Lone Star com 65% e 10% serão disponibilizados para grandes grupos portugueses – o que já levou o sindicato dos bancários a mostrar-se interessado em ficar com uma parte do capital da instituição.

“Foi-nos apresentada a segunda fase do plano de reestruturação do Novo Banco com um novo programa de alienação de empresas do grupo, rescisões e reformas antecipadas, num total de 1500 trabalhadores”, começa por explicar o sindicato.

“Até Janeiro de 2017 saíram 1142 trabalhadores, nesta continuidade do plano de reestruturação iniciado em 2016, o objetivo será de saída de mais 358 trabalhadores, prevendo-se que 150 a 200 sejam por reformas antecipadas”, diz o comunicado.

O Novo Banco já reduziu a sua rede comercial de 550 Balcões para 537 balcões, com este plano de reestruturação irá reduzir mais 62 balcões, ficando a rede comercial com 475 agências.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Artur Machado/Global Imagens.

Donos de alojamento local contestam agravamento das tarifas da água

Miguel Pina Martins, CEO da Science4you.

(Nuno Pinto Fernandes/Global Imagens)

Science4you quer alargar prazo da oferta pública até fevereiro

(Carlos Santos/Global Imagens)

Porto de Setúbal: Acordo garante fim da greve às horas extraordinárias

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Novo Banco. Sindicato preocupado com Lone Star