banca

Novo Banco vende carteira de 2 mil milhões de euros de crédito malparado

Novo Banco estima que a transação seja concluída durante o primeiro trimestre do próximo ano

O Novo Banco concluiu a venda de uma carteira de crédito malparado no valor total de 2 150 milhões de euros. Segundo um comunicado publicado esta quinta-feira na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a venda foi feita a um consórcio de fundos geridos pela norte-americana KKR e à Lx Investment Partners.

A nota detalha que a carteira de crédito não produtivo e ativos relacionados “engloba aproximadamente 102 mil contratos com um valor total de 2.150 milhões de euros, sujeito a ajustamentos de perímetro usuais nestas transações até à concretização da mesma”.

A transação, que é o culminar de um processo “competitivo”, deverá ficar concluída no primeiro trimestre de 2019, “após verificação de todas as condições necessárias à sua formalização”.

Fonte oficial do Novo Banco referiu à Lusa que a venda superou as expectativas e que esta foi a maior operação de venda de crédito mal parado de sempre em Portugal.

Na nota enviada à CMVM, o banco sublinha que a venda “representa mais um importante passo no processo de desinvestimento de ativos não produtivos e permitirá acelerar” a sua redução.

Em outubro, o Jornal de Negócios tinha noticiado que, além da KKR, estavam também na corrida à compra dos ativos o Deutsche Bank e o Cerebrus Capital Management, um dos maiores bancos de investimento privado dos Estados Unidos.

Já este mês o Eco tinha avançado que o fundo KKR era o vencedor da corrida à carteira de crédito malparado do Novo Banco, sendo que o montante previsto no chamado “Projeto Nata” previa a alienação de 1,75 mil milhões de euros.

Com esta venda a carteira de crédito malparado do Novo Banco cai para menos de 7 mil milhões de euros.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E) e o Ministro das Finanças, Mário Centeno (D) no debate na generalidade do OE2020 (Foto: PATRICIA DE MELO MOREIRA / AFP).

Finanças confirmam encaixe de 30 milhões com aumentos da função pública

Lisboa, 01/10/2013 - Decorreu esta tarde na Fundação Champallimaud a Assembleia Geral da Zon Optimus 
Isabel dos Santos, accionista da Zon Optimus e Mário Silva, Zopt
(Diana Quintela/Global Imagens)

Administradores da NOS envolvidos no Luanda Leaks renunciam

Tchizé dos Santos,filha do ex-presidente da República angolano. (JOÃO RELVAS/LUSA)

Irmã de Isabel dos Santos desafia empresária a devolver 75 milhões a Angola

Novo Banco vende carteira de 2 mil milhões de euros de crédito malparado