Serviços bancários

Número de queixas no crédito ao consumo aumentou 10%

REUTERS/Rafael Marchante
REUTERS/Rafael Marchante

Caixa Leasing e Wizink foram entidades com mais reclamações. Banco CTT destacou-se pela negativa nos depósitos e crédito da casa.

Os clientes dos bancos tiveram mais razões de queixa no crédito ao consumo. O número de reclamações aumentou mais de 10% no ano passado, segundo o Banco de Portugal (BdP), muito à conta dos cartões de crédito. No total dos serviços bancários, as reclamações estabilizaram em mais de 15 mil.

“Verificou-se um aumento de 10,1% no total de reclamações relativas a crédito aos consumidores, destacando-se, face a 2017, o crescimento do número de reclamações sobre responsabilidades de crédito, comissões ou encargos e cobrança de valores em dívida”, indicou o BdP.

Estes dados surgem numa fase em que o crédito ao consumo tem crescido e motivado alertas por parte do supervisor e do Governo.

No total do crédito ao consumo, houve 3778 reclamações, mais 388 que em 2017. Mais de um terço das queixas estavam relacionadas com a informação transmitida à Central de Responsabilidades de Crédito, a “lista negra” do BdP.

Estas reclamações incidiram sobre alegados atrasos na comunicação da regularização das situações de incumprimento e na retificação da informação incorreta reportada. Houve ainda queixas sobre os “métodos usados pelas instituições e por entidades por estas contratadas para a cobrança dos valores em dívida”.

No crédito ao consumo, o Caixa Leasing e Factoring, o Wizink, o Volkswagen Bank e o Banco CTT tiveram a maior proporção de reclamações.

Apesar da subida no crédito ao consumo, é nas contas de depósitos que continua a existir o maior número de reclamações: 4811. Ainda assim, este valor representa uma descida de 5%. Neste segmento, o Banco CTT foi o mais visado, com 0,81 queixas por cada 1000 contas. Na lista dos que tiveram mais queixas estão ainda o Deutsche Bank, o Bankinter e o BBVA.

Nos empréstimos para habitação, houve uma subida de 3% no número de reclamações para 1989. O Banco CTT voltou a ser o que motivou mais reclamações. Mais de 5 em cada 1000 contratos. Fonte oficial da empresa indicou que a “metodologia desfavorece os bancos recentes”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Foto: DR

Parpública avança com venda dos terrenos da antiga Lisnave

Filas de táxis nas chegadas do Aeroporto Humberto Delgado em Lisboa. (Filipa Bernardo / Global Imagens)

Táxis: Câmara de Lisboa quer tarifa única para aeroporto

(Photo by Anthony Behar)

Economia americana cresce 3,2% e supera estimativas dos analistas

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Número de queixas no crédito ao consumo aumentou 10%