Obrigações do Tesouro

Portugal vai emitir 15,4 mil milhões em Obrigações do Tesouro em 2019

Cristina Casalinho, presidente do IGCP. (Fotografia: Diana Quintela/ Global Imagens)
Cristina Casalinho, presidente do IGCP. (Fotografia: Diana Quintela/ Global Imagens)

O montante das necessidades de financiamento líquidas do Estado no ano de 2019 deverá situar-se em cerca de 8,6 mil milhões de euros.

Em 2019, o Estado português vai emitir 15,4 mil milhões em Obrigações do Tesouro, “combinando sindicatos e leilões, e assegurando emissões mensais”, avança uma nota divulgada esta sexta-feira pela Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP). O programa do Tesouro prevê, contudo, necessidades líquidas de 8,6 mil milhões de euros.

 

A estratégia de financiamento para 2019 “centrar-se-á na emissão de títulos de dívida pública nos mercados financeiros em EUR com realização regular de emissões de Obrigações do Tesouro (OT), para promover a liquidez e um funcionamento eficiente dos mercados primário e secundário”, refere o IGCP.

Relativamente às Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável (OTRV), prevê-se que tenham um impacto positivo de mil milhões de euros.

Também para este ano, o Estado prevê que o financiamento líquido resultante da emissão de Bilhetes do Tesouro terá um impacto positivo de 600 milhões de euros.

Para isso, a entidade liderada por Cristina Casalinho, sublinha que ” vai centrar-se na emissão de títulos de dívida pública nos mercados financeiros” e “explorar oportunidades para realizar operações de troca e recompras de títulos”, refere a mesma nota.

No final do ano passado, verificava-se uma descida no saldo dos Certificados do tesouro para 16.318 milhões de euros, um valor registado em novembro.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral Depósitos CGD Juros depósitos

Caixa perdeu 1300 milhões com créditos de grandes devedores

Ursula von der Leyen foi o nome nomeado para presidir à Comissão Europeia. (REUTERS/Francois Lenoir)

Parlamento Europeu aprova Von der Leyen na presidência da Comissão

Christine Lagarde, diretora-geral demissionária do FMI. Fotografia: EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA

Christine Lagarde demite-se da liderança do FMI

Outros conteúdos GMG
Portugal vai emitir 15,4 mil milhões em Obrigações do Tesouro em 2019