crédito à habitação

Prestação da casa sobe em junho para contratos com Euribor a 3 e 6 meses

Ilustração: Pedro Fernandes
Ilustração: Pedro Fernandes

Desde abril que milhares de famílias não estão a pagar o crédito à habitação, fazendo uso do decreto-lei que permite moratórias nos créditos.

A prestação paga pelos clientes ao banco pelo crédito à habitação sobe em junho nos contratos com Euribor a três e seis meses, face às últimas revisões, segundo simulação da Deco/Dinheiro&Direitos.

No caso de um cliente com um empréstimo no valor de 150 mil euros a 30 anos, indexado à Euribor a seis meses com um ‘spread’ (margem de lucro do banco) de 1%, este paga a partir deste mês 472,67 euros, o que significa mais 13,08 euros face à última revisão da prestação, em dezembro.

Já no caso de um empréstimo nas mesmas condições, mas indexado à Euribor a três meses, o cliente passa a pagar 463,95 euros, mais 9,15 euros do que o que pagou desde março.

Desde abril que milhares de famílias não estão a pagar o crédito à habitação, fazendo uso do decreto-lei do Governo que permite moratórias nos créditos à habitação por seis meses, com suspensão dos pagamentos das prestações (juros e capital) até 30 de setembro.

Os particulares podem pedir a moratória no crédito se tiverem residência em Portugal, não tiverem o crédito em incumprimento nem dívidas ao fisco e Segurança Social e estiverem em situações que impliquem provável quebra de rendimentos (suspensão do contrato de trabalho devido à atual crise – ‘lay-off’, desemprego, apoio extraordinário à redução de atividade de trabalhador independente, isolamento por quarentena ou doença, assistência a filhos ou netos ou sejam trabalhadores de entidades ou estabelecimentos encerrados durante o estado de emergência).

O Governo está, atualmente, a estudar a extensão das moratórias pelo menos até final do ano.

As taxas Euribor são o principal indexante em Portugal nos contratos bancários que financiam a compra de casa. A Euribor a seis meses é a mais usada, seguida da taxa a três meses.

Em maio, a média da taxa Euribor a seis meses foi de -0,143% e a média da taxa a três meses de -0,272%.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (D), e o presidente da Câmara Municipal de Loures, Bernardino Soares (E), participam na conferência de imprensa no final de uma reunião, em Loures. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Costa: “Há países que foram colocados em listas vermelhas por retaliação”

João Rendeiro, ex-gestor do BPP

João Rendeiro, ex-presidente do BPP, condenado a pena de prisão

António Costa Silva
JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Costa Silva defende retoma da alta velocidade e novo aeroporto

Prestação da casa sobe em junho para contratos com Euribor a 3 e 6 meses