CGD

Programa de reformas antecipadas na CGD com mais de mil candidaturas

José de Matos Presidente da Caixa Geral de Depósitos Foto:  José Mota / Global Imagens
José de Matos Presidente da Caixa Geral de Depósitos Foto: José Mota / Global Imagens

O programa de reformas antecipadas na CGD, Plano Horizonte, arrancou em 2015 e termina este ano. Banco reduz quadro em cerca de mil efetivos

Mais de mil colaboradores da Caixa Geral de Depósitos (CGD) candidataram-se ao plano de reformas antecipadas do banco, denominado Plano Horizonte.

Mas o número de saídas não deverá ser superior a mil. Isto porque, o presidente da instituição adianta que é a CGD a definir o número de redução de efetivos. Não serão aceites toadas as candidaturas. “Quem decide é o banco e não os funcionários”, justificou José de Matos na conferência de imprensa de apresentação de resultados de 2015, para garantir que o número total da redução do quadro de pessoal ainda não está fechado.

“Vamos tomar a decisão caso a caso e em função das vantagens da saída” de cada colaborador, garante o banqueiro.

Ainda assim, disse, “é possível que seja um número global e desta ordem de grandeza [1000 efetivos] “. Os funcionários que completem pelo menos 55 anos até 31 de dezembro de 2016 são elegíveis para o Plano Horizonte.

O custo total do programa é de 65 milhões de euros, divididos por 2015 e 2016, mas refletido na totalidade nas contas de 2015.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Carlos Costa, governador do Banco de Portugal.
(Ângelo Lucasl / Global Imagens )

Costa pede mais reformas a Costa

Illu - Site-02

Viagens ao espaço deixam turismo com a cabeça na Lua

Illu - Site-02

Viagens ao espaço deixam turismo com a cabeça na Lua

Outros conteúdos GMG
Programa de reformas antecipadas na CGD com mais de mil candidaturas