CGD

Mourinho Félix. Recapitalização da CGD ainda em 2016

Ricardo Mourinho Félix, secretário de Estado das Finanças
Ricardo Mourinho Félix, secretário de Estado das Finanças

Orçamento da luz verde para um aumento de capital de 2,7 mil milhões de euros na CGD. Valor exacto ainda vai ser apurado.

O secretário de Estado do Tesouro e Finanças, Mourinho Félix, confirmou hoje que a recapitalização da CGD vai avançar “ainda em 2016”, depois de apurado o valor concreto do aumento de capital do banco público.

Essa recapitalização está expressa nas necessidades e fontes de financiamento do Estado em 2016.

O Governo está a apresentar o Orçamento do Estado para 2017, que confirma uma injeção de capital na CGD de 2,7 mil milhões de euros. Mourinho Félix garantiu que o montante definitivo será ainda vai ser apurado. Em curso está uma auditoria para definir o valor exato da recapitalização.

No capítulo dedicado às necessidades e fontes de financiamento do Estado, o documento refere que “o volume de aquisição líquida de ativos financeiros (6,8 mil milhões de euros) inclui a operação de capitalização da CGD no valor de 2,7 mil milhões de euros, para além da cobertura de necessidades de financiamento de empresas públicas no valor de 2,9 mil milhões de euros e da linha de crédito do Fundo de Resolução Europeu de 0,9 mil milhões de euros”.

O Governo frisa contudo, relativamente ao setor bancário, que vai manter a contribuição extraordinária no próximo ano, que em 2016 “assistiu-se à consolidação do processo de crescimento, num contexto externo adverso marcado por perturbações vindas da Europa e de alguns dos nossos mais relevantes parceiros económicos”.

“O sistema financeiro português entrou finalmente num processo de estabilização, com a definição de um novo plano de negócios e a recapitalização da CGD e a estabilização dos principais bancos privados.”

 

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Centeno mantém crescimento de 1,9% este ano. Acelera para 2% no próximo

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: José Sena Goulão/Lusa

Dívida pública desce mais devagar do que o previsto

desemprego Marcos Borga Lusa

Taxa de desemprego nos 5,9% em 2020. A mais baixa em 17 anos

Outros conteúdos GMG
Mourinho Félix. Recapitalização da CGD ainda em 2016