banca

Revolut, a rival digital dos bancos vai aceitar depósitos em Portugal

Revolut aplicação

A fintech britânica está a angariar entre 300 a 400 clientes portugueses por dia, um aumento de 50% face ao registado há três meses

A Revolut, um das rivais digitais da banca tradicional, atingiu os 100 mil clientes em Portugal e vai começar este ano a prestar serviços bancários e a aceitar depósitos dos clientes portugueses.

Adicionalmente, a fintech passou a disponibilizar a língua portuguesa no seu website e na sua aplicação.

“Além de ter atingido os 100 mil utilizadores, a Revolut também anunciou que estão a aderir entre 300 e 400 novos clientes em Portugal por dia, um aumento de 50% no crescimento de há três meses para cá”, destaca num comunicado.

“O mercado português é atualmente o oitavo maior mercado da Revolut na Europa, ficando ligeiramente atrás dos vizinhos Espanha e França”, adianta.

A fintech obteve recentemente uma licença bancária europeia e vai, “em breve, começar a oferecer serviços bancários aos clientes portugueses, como contas a descoberto e empréstimos pessoais e para empresas a juros competitivos face aos bancos tradicionais”.

“No final deste ano, os clientes portugueses vão poder começar a depositar os seus salários, que estarão protegidos até 100 mil euros sob o futuro esquema de Garantia de depósitos Europeu”, frisa.

Até agora, os clientes portugueses usam a Revolut para abrir contas em minutos, numa aplicação, transferir dinheiro e efetuar câmbios. Também a utilizam para pagamento de despesas em viagem e compra e venda de moedas virtuais, como a bitcoin.

“Temos um longo caminho a percorrer até que a Revolut seja a conta corrente principal e o cartão de débito diário no país. Penso que é importante destacar quanto dinheiro poupamos aos nossos utilizadores, oferecendo uma alternativa real aos bancos tradicionais e taxas exorbitantes, especialmente considerando que a maioria das contas bancárias em Portugal cobra uma taxa de serviço mensal que custa cerca de seis euros em média”, afirma Patricia Gómez, diretora de comunicação da Revolut Portugal citada no comunicado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
boris johnson brexit

Brexit: Um acordo que responde “às circunstâncias únicas da Irlanda”

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Outros conteúdos GMG
Revolut, a rival digital dos bancos vai aceitar depósitos em Portugal