banca

Saíram 400 trabalhadores da CGD no último ano

ANDRÉ KOSTERS / LUSA
ANDRÉ KOSTERS / LUSA

A Caixa mantém o objetivo que consta do plano estratégico da CGD de cortar 571 postos de trabalho em 2019.

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) reduziu em 400 o seu número de trabalhadores em Portugal no último ano.

Desde janeiro deste ano, saíram 172 trabalhadores dos quadros do banco, e a Caixa mantém o objetivo que consta do plano estratégico da CGD de cortar 571 postos de trabalho em 2019, garantiu Paulo Macedo, presidente executivo do banco estatal. “O objetivo da Caixa em 2019 é o mesmo”, afirmou na conferência de apresentação de resultados do primeiro semestre deste ano.

O banco terminou o passado mês de junho com um total de 7.503 trabalhadores em Portugal.

Sobre as contribuições para o Fundo de Pensões da Caixa, que ascenderam a 500 milhões de euros em três anos, Macedo alertou que é uma situação que “não é sustentável” e que não estava prevista no Plano Estratégico acordado com Bruxelas no âmbito da operação de recapitalização da CGD.

O banco público registou um lucro líquido de 282,5 milhões de euros nos primeiros seis meses deste ano, o que corresponde a um aumento de 46% face a igual período de 2018 mas a rentabilidade do banco foi afetada pela pressão atual sobre as taxas de juro.

Atualizada às 20H38

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
A Poveira, conserveira. Fotografia: Rui Oliveira / Global Imagens

Procura de bens essenciais dispara e fábricas reforçam produção ao limite

Fotografia: Regis Duvignau/Reuters

Quase 32 mil empresas recorrem ao lay-off. 552 mil trabalhadores em casa

coronavírus em Portugal (covid-19) corona vírus

266 mortos e 10 524 casos confirmados de covid-19 em Portugal

Saíram 400 trabalhadores da CGD no último ano