Banco Santander

Santander compensa pequenos investidores do banco Popular

Santander absorveu Banco Popular. Fotografia: REUTERS/Juan Medina
Santander absorveu Banco Popular. Fotografia: REUTERS/Juan Medina

Compensação será feita através da entrega, a partir de setembro, de "obrigações de fidelização" avaliadas, ao todo, em até 980 milhões de euros.

O Santander vai compensar os pequenos investidores que compraram ações ou obrigações subordinadas durante o último aumento do Banco Popular. A solução abrange os pequenos acionistas que investiram até um milhão de euros. Os investidores até 100 mil euros serão compensados na totalidade, de acordo com o documento publicado pelo Santander junto do regulador do mercado bolsista espanhol (CNVM). A compensação será feita através da entrega, a partir de setembro, de “obrigações de fidelização” avaliadas, ao todo, em até 980 milhões de euros.

“Os clientes do Santander e do Banco Popular que reunirem determinadas condições e que tenham sido afetados pela resolução do Banco Popular poderão receber, sem qualquer gasto da sua parte, valores negociáveis emitidos pelo banco Santander por um montante nominal equivalente ao investimento em ações ou determinadas obrigações subordinadas do Banco Popular (com certos limites) das quais eram titulares à data da resolução do Banco Popular”.

Esta “ação de fidelização”, como designa o Santander, afeta os clientes que compraram ações do Banco Popular entre 26 de maio e 21 de junho de 2016 e duas obrigações subordinadas subscritas no mesmo período, e que tenham mantido estes títulos à data da resolução.

A percentagem das compensações varia conforme o montante investido. Entre 100 e 100 mil euros, o cliente será compensado na totalidade; entre 100.001 e 500 mil euros, a compensação é a 75%; entre 500.001 e um milhão de euros, metade do montante será recuperado. Acima de um milhão de euros, não há qualquer direito a compensação.

No caso de um cliente ter sido prejudicado em 250 mil euros, os primeiros 100 mil euros serão recuperados na totalidade; o restante montante (150 mil euros) é ressarcido a 75%, detalha o Santander.

A solução não abrange membros do conselho de administração do Banco Popular ou quaisquer pessoas relacionadas.

Logo a seguir à compra do Banco Popular, o Santander já tinha admitido estar a estudar uma solução para os acionistas minoritários, que tinham perdido os 2,5 mil milhões de euros do aumento de capital.

O Santander comprou, a 7 de junho, o Banco Popular, depois de o Conselho Único de Resolução ter concluído que o colapso do Popular estava iminente. O banco foi comprado por um euro; o Santander avançou com um aumento de capital de até sete mil milhões de euros para cobrir as necessidade de capital do banco.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
The World Economic Forum, Davos
Fabrice COFFRINI/AFP

Líderes rumam a Davos para debater a nova desordem mundial

Mário Centeno

Privados pedem ao Estado 1,4 mil milhões de euros em indemnizações

Luis Cabral, economista.
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Luís Cabral: “Pobreza já não é só ganhar 2 dólares/dia”

Santander compensa pequenos investidores do banco Popular