banca

Santander: “plano de cortes prossegue mas é gradual e com base em acordos”

Banco Santander Totta

O Santander garante que não está a preparar uma redução abrupta de um grande número de trabalhadores e que o processo gradual de cortes prossegue.

O Santander Totta vai continuar com o processo de redução gradual do número de trabalhadores, fazendo o ajuste do seu quadro pessoal após a integração do Banco Popular, não estando a preparar um plano de redução de efetivos.

O El Economista noticia esta segunda-feira que o Santander está a preparar uma redução do número de colaboradores em Portugal após a conclusão da integração do Banco Popular.

“O processo (de redução do quadro de pessoal) está em curso e tem sido feito de forma gradual com base em acordos de rescisão e pré-reformas”, disse fonte oficial do banco ao Dinheiro Vivo.

“Não estamos a preparar numa redução abrupta de um grande número de trabalhadores”, frisou, adiantando que o El Economista não contactou o banco antes de publicar a notícia.

Lembrou que o Santander tem vindo a ajustar o seu número de trabalhadores, a um nível inferior ao efetuado por outros bancos em Portugal, não só devido à integração do Banif e do Popular mas também em resultado da crescente digitalização do setor.

Entre dezembro de 2017 e o final de junho, o Santander reduziu em 80 o seu número de trabalhadores em Portugal.

O banco liderado por António Vieira Monteiro anunciou no dia 16 de outubro a conclusão da integração tecnológica do Banco Popular.

Atualizada às 12H17 para corrigir o primeiro parágrafo, substituindo ‘Banco de Portugal’ por ‘Banco Popular’.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

LUÍS FORRA/LUSA

Dia 6. 50 euros dividem patrões e motoristas

O advogado e porta-voz do sindicato nacional dos motoristas, Pardal Henriques. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Sindicato: “Queremos bases bem definidas para iniciar negociação”

Outros conteúdos GMG
Santander: “plano de cortes prossegue mas é gradual e com base em acordos”