Novo Banco

Santander “segue desenvolvimentos” do processo de venda do Novo Banco

José António Álvarez "segue os desenvolvimentos em Portugal", mas que o objetivo "é crescer organicamente".

O administrador-delegado do Grupo Santander, José António Álvarez, desvalorizou hoje a possibilidade de fazer uma oferta pelo Novo Banco, salientando que “segue os desenvolvimentos em Portugal”, mas que o objetivo “é crescer organicamente”.

“No ano passado analisámos o Novo Banco e colocámos uma oferta não vinculativa. Seguimos os desenvolvimentos em Portugal, mas o nosso objetivo em Portugal é crescer de forma orgânica, o que estamos a fazer”, afirmou o responsável do banco espanhol, que opera em Portugal através do Santander Totta.

O crescimento orgânico refere-se ao aumento dos resultados dentro do atual perímetro do banco, ou seja sem recorrer a compras.

José António Álvarez explicou que o Santander tem “dois objectivos em Portugal”, o primeiro dos quais “finalizar em outubro a integração do Banif”, que o banco espanhol comprou por 150 milhões de euros no ano passado.

“Estamos nessa integração. O segundo tema é ganhar quota de mercado, no qual temos vindo a crescer”, acrescentou.

José António Álvarez foi ainda instado a comentar o decreto-lei aprovado recentemente pelo Governo português para as instituições de crédito – que permite levantar os bloqueios estatutários a alguns acionistas e que poderá permitir uma resolução para o conflito do catalão Caixabank no BPI -, mas escusou-se dizendo: “Desconheço a lei”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
(Rui Oliveira / Global Imagens)

Marcas aceleram nas promoções para tirar travão nas vendas

Fotografia: Gonçalo Delgado/Global Imagens

Resposta à pandemia traz riscos de má gestão e corrupção do dinheiro público

Restauração recuperou volume de negócios

CIP: 61% das empresas ainda não recebeu financiamento

Santander “segue desenvolvimentos” do processo de venda do Novo Banco