Santander Totta facilita crédito à habitação dos seus clientes

António Monteiro, Santander
António Monteiro, Santander

O Santander Totta está a facilitar a negociação do crédito à habitação para as famílias com dificuldade em pagar as prestações da casa. O banco lançou uma campanha há duas semanas e conta já com cerca de 1000 famílias abrangidas. Uma operação que o presidente do Santander Totta, António Vieira Monteiro, garante estar a ser “um sucesso”.

“A campanha consiste em tentar coordenar a prestação do crédito à habitação com os rendimentos dos clientes. Isso tem sido feito através do alargamento de prazos e redução de ‘spreads’, entre outras medidas”, explicou Vieira Monteiro, na apresentação de resultados do primeiro trimestre do Santander Totta.

No entanto, nem todos os clientes poderão usufruir desta campanha. Segundo adiantou fonte oficial ao DN/Dinheiro, o banco tem identificado um perfil e só os clientes que cumpram esses requisitos são contactados. “Tratam-se sobretudo de clientes que tenham, pelo menos, três prestações em atraso mas menos de seis, que estejam desempregados ou que tenham sofrido uma redução substancial do rendimento”, esclareceu fonte oficial.

O banco procura assim adequar a prestação aos rendimentos dos clientes através do alargamento do prazo ou mesmo carência de capital (período durante o qual só paga juros). Ainda assim, “o banco tem também atenção ao bom histórico do risco do cliente”, acrescentou fonte oficial do Santander Totta.

Para o caso das famílias em situação do sobreendividamento estão a ser estudadas várias opções na banca. O presidente do Santander Totta admitiu que o arrendamento é uma dessas opções, tal como avançou em primeira mão o Dinheiro Vivo.

“Nós fazemos parte do grupo que está a discutir a situação do crédito à habitação juntamente com a Associação Portuguesa de Bancos (APB), e somos favoráveis a várias hipóteses, inclusive a de Espanha que também prevê a situação de arrendamento”, afirmou António Vieira Monteiro.

“Em Espanha já existe essa hipótese de arrendamento em que a renda corresponde a 3% do valor que não é coberto pelo valor da hipoteca”. Vieira Monteiro reconheceu que essa é uma opção que a banca está a estudar, juntamente com outras que visam, sobretudo, ajudar as famílias que estão em dificuldades no cumprimento das prestações dos empréstimos.

Entrega de casa salda a dívida

O presidente do Santander Totta admitiu aceitar a entrega da casa para pagamento da totalidade da dívida do empréstimo em casos pontuais.

“Nós temos vindo a aceitar que a casa sirva de pagamento total da dívida, em casos em que se verifique que a família não tem mesmo outras possibilidades”, afirmou António Vieira Monteiro.

“Estamos abertos desde que sejam situações de pessoas sem capacidade de pagar. Não há condições para alargar esta prática a quem pode pagar os créditos”, acrescentou Vieira Monteiro.

O responsável revelou que o Santander Totta tem sido um banco atento à evolução do crédito malparado e dos casos das famílias que têm dificuldade em fazer face aos seus compromissos. “Há já algum tempo que temos vindo a acompanhar este assunto que tem afetado as famílias portuguesas”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Santander Totta facilita crédito à habitação dos seus clientes