Novo Banco

Sérgio Monteiro: 460 mil euros para vender o Novo Banco

Foto: Global Imagens
Foto: Global Imagens

Banco de Portugal contratou serviços de consultoria com antigo secretário de Estado e fatura total já ascende a 460 mil euros

O Banco de Portugal (BdP) divulgou no último dia útil do ano passado as condições da renovação por mais seis meses do contrato de consultoria celebrado com Sérgio Monteiro para liderar a venda do Novo Banco. A renovação vai custar mais 152,4 mil euros ao Fundo de Resolução, acrescidos de IVA, elevando o custo total com a contratação de Monteiro até 458 mil euros por ano e meio de serviço.

O contrato inicial entre o antigo governante e o Fundo de Resolução, através do Banco de Portugal, ; foi assinado a 1 de novembro de 2015, por 12 meses. A troco de 304,8 mil euros, Sérgio Monteiro aceitou fornecer os seus serviços para a “coordenação do projeto de finalização do processo de resolução do Banco Espírito Santo e consequente alienação da participação acionista do Fundo de Resolução no Novo Banco”. A renovação agora divulgada veio prolongar este vínculo até abril de 2017.

Segundo os termos da renovação do contrato, divulgados a 30 de dezembro de 2016 no Portal Base, o ex-secretário de Estado dos Transportes do governo PSD/CDS manteve o mesmo nível de remuneração previsto no contrato inicial, já que irá receber na mesma 25,4 mil euros mensais acrescidos de IVA – até aos tais 152,4 mil euros pelo prolongamento por seis meses.

Este era também o nível salarial que Monteiro auferia no Caixa BI, do grupo CGD, antes de ser chamado para as funções de secretário de Estado dos Transportes pelo anterior governo. O responsável ainda mantém este vínculo com o banco público, para onde regressará finda a ligação ao BdP.

Aquando da escolha de Sérgio Monteiro para gerir a venda do Novo Banco, o supervisor justificou a opção com a “complexidade e desafios associados ao processo”, complexidade que exigia “um responsável de reconhecido mérito e elevada experiência em operações desta natureza” para “assegurar a coordenação e gestão de toda a operação, incluindo o acompanhamento do programa de transformação a implementar pelo Novo Banco, que é condição essencial para a venda”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP), Vítor Constâncio, fala perante a II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco, na Assembleia da República. TIAGO PETINGA/LUSA

Constâncio: Risco para a estabilidade no crédito a Berardo era “problema da CGD”

Outros conteúdos GMG
Sérgio Monteiro: 460 mil euros para vender o Novo Banco