Crimes financeiros

Tomás Correia: “Não faço ideia do que se passa”

Tomás Correia (Fotografia: João Silva)
Tomás Correia (Fotografia: João Silva)

O Ministério Público anunciou hoje que sedes de bancos, uma associação, casas particulares e sedes de empresas estavam a ser alvo de buscas.

António Tomás Correia, antigo presidente do Banco Montepio e da Associação Mutualista Montepio geral, afirmou, esta quinta-feira, que não tem conhecimento sobre o que se passa em torno das buscas da Polícia Judiciária e desconhece se a sua residência em Lisboa foi também um dos alvos da ação policial.

“Não faço ideia do que se passa”, afirmou o antigo banqueiro ao Dinheiro Vivo, negando ainda que seja arguido ou que tenha recebido algum tipo de notificação sobre este caso.

O Ministério Público anunciou hoje que sedes de bancos, uma associação, casas particulares e sedes de empresas estavam a ser alvo de buscas por parte da Polícia Judiciária.

A operação ficou a cargo da unidade nacional de combate à corrupção para dar cumprimento a 15 mandados de busca.

O Banco Montepio já confirmou ser uma das instituições visadas nas buscas.

Em atualização

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Mário Centeno

Centeno volta a cativar mais dinheiro

Natalidade. Fotografia: Pedro Granadeiro / Global Imagens

Despesa com apoios à família é a quinta mais baixa da UE

Greve dos estivadores do Porto de Setúbal.

Estivadores de Setúbal anunciam greves parciais mas poupam Autoeuropa

Tomás Correia: “Não faço ideia do que se passa”