Santander Totta

Trabalhadores do Popular integrados no Santander Totta até final do ano

A administração do Totta assegurou ainda que não está previsto um despedimento coletivo

Os trabalhadores do Banco Popular e da sociedade Primestar deverão ser integrados no Santander Totta até ao final do ano.

Em comunicado enviado esta quinta-feira às redações, o Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários (SNQTB) informou que esteve ontem reunido com o Conselho de Administração do Totta, e que desse encontro saiu a garantia da integração dos trabalhadores.

A integração dos trabalhadores está dependente da formalização do negócio, que aguarda pela luza verde de Bruxelas, através da Direção-Geral da Concorrência, e do banco Central Europeu, que deverá chegar até ao final de 2017.

A administração do Totta assegurou ainda que não está previsto um despedimento coletivo e que as condições contratuais que os trabalhadores tinham até agora naquelas duas instituições deverão manter-se.

Leia mais: Santander absorve Popular. O que acontece agora?

“A administração do Santander Totta garantiu ao SNQTB que aplicará de forma igualitária a sua política de pessoal aos trabalhadores oriundos do Banco Popular, não havendo qualquer despedimento coletivo. Esta é uma decisão que nos tranquiliza, muito embora não nos impeça de nos mantermos atentos e interventivos neste processo. As eventuais cessações de contratos de trabalho serão sempre negociadas com os trabalhadores, sejam quais forem as instituições de origem», declarou Paulo Marcos, presidente do SNQTB, citado na nota enviada à imprensa.

O Banco Santander adquiriu o Banco Popular no início de junho por um euro, após um aviso de Bruxelas devido aos crescentes receios sobre o iminente colapso do banco.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
apple one

Apple One junta vários serviços, chega a Portugal mas com limitações. O que tem

A  90ª edição da Micam, a feira de calçado de Milão, está agendada para os dias 20 a 23 de setembro, com medidas de segurança reforçadas. Fotografia DR

Calçado. Micam arranca este domingo e até há uma nova marca presente

Os ministros da Presidência do Conselho de Ministros, Mariana Vieira da Silva (C), Economia, Pedro Sia Vieira (E) e do Trabalho Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho (D). MANUEL DE ALMEIDA/POOL/LUSA

Portugal é o quarto país da UE onde é mais difícil descolar do mínimo

Trabalhadores do Popular integrados no Santander Totta até final do ano