banca

Tribunal arresta apartamentos a Berardo avaliados em quatro milhões

(ANTÓNIO COTRIM/LUSA)
(ANTÓNIO COTRIM/LUSA)

Os dois imóveis localizados em Lisboa foram arrestados pelo tribunal para pagar as dívidas do comendador à Caixa Geral de Depósitos.

O Tribunal da Comarca de Lisboa arrestou dois apartamentos a Joe Berardo. Os imóveis estão avaliados em quatro milhões de euros, avança a SIC Notícias.

Um dos imóveis situa-se na Lapa (Lisboa) e vale 1,5 milhões de euros. Está em nome da Atram, sociedade criada por Joe Berardo. O segundo apartamento, também em nome da sociedade, localiza-se na Infante Santo (Lisboa) e está avaliado em 2,5 milhões de euros.

Os dois imóveis foram arrestados pelo tribunal para pagar as dívidas do comendador à Caixa Geral de Depósitos (CGD), apurou a estação televisiva. Recorrendo à figura da desconsideração da personalidade jurídica coletiva, o tribunal conseguiu provar que ambos os imóveis pertenciam a Joe Berardo.

Documentos mas também testemunhos de moradores vizinhos serviram de prova para confirmar a presença diária do empresário nos apartamentos.

Segundo a SIC Notícias, o tribunal ficou com poucas dúvidas de que Joe Berardo transferiu todos os seus bens para empresas com o objetivo de não pagar as dívidas, nomeadamente à CGD, a quem deve cerca de 500 milhões de euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Trump Xi China

Trump ameaça China. “Não precisamos deles, esta é uma grande oportunidade”

Emmanuel Macron, presidente francês. Fotografia: Direitos Reservados

Fogos na Amazónia: França e Irlanda ameaçam bloquear acordo com Mercosul

O ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, intervém durante uma conferência de imprensa para fazer o ponto de situação sobre a crise energética, no Ministério do Ambiente e da Transição Energética, em Lisboa, 13 de agosto de 2019. JOÃO RELVAS / LUSA

Ministro do Ambiente: “Há cada vez mais condições” para que greve não aconteça

Outros conteúdos GMG
Tribunal arresta apartamentos a Berardo avaliados em quatro milhões