crédito malparado

Um quarto das empresas de alojamento e restauração está em incumprimento

Fotografia: José Sena Goulão/Lusa
Fotografia: José Sena Goulão/Lusa

As empresas ligadas ao setor do turismo têm sido das mais afetadas pelas medidas adotadas na sequência da epidemia do novo coronavírus.

Um quarto dos empréstimos das empresas de alojamento e restauração estava em situação de incumprimento em abril, com o crédito vencido no setor a subir pelo quarto mês consecutivo.

Em dezembro de 2019, um quinto das sociedades de alojamento e restauração não conseguiam pagar as suas prestações ao banco.

Segundo os dados que foram divulgados esta sexta-feira pelo Banco de Portugal, em valor, houve uma descida do malparado neste setor. O montante de crédito vencido caiu em abril para 119,4 milhões de euros, o que compara com 123,1 milhões de euros em março e com 331,9 milhões de euros no período homólogo.

As empresas ligadas ao setor do turismo têm sido das mais afetadas pelas medidas adotadas na sequência da epidemia do novo coronavírus, que foi inicialmente detetado em Wuhan, na China, no final de 2019.

As viagens foram proibidas e muitos países, incluindo Portugal, decidiram impor o confinamento forçado à população. A nível nacional, foi declarada situação de estado de emergência a 18 de março, tendo vigorado até ao dia 2 de maio. Empresas, comércio, serviços e escolas foram encerrados, o que originou uma das maiores crises económicas de sempre. O desemprego disparou, tal como o recurso à suspensão dos contratos de trabalho – lay-off – e tem crescido o número de famílias que pedem ajuda alimentar, sendo já mais de uma centena de milhar a viver nessa condição.

O Governo aprovou uma moratória legal para o crédito à habitação e crédito a empresas para minimizar os impactos da crise criada pelo confinamento. A medida vai vigorar até 30 de setembro mas deverá ser prolongada. Em paralelo, os setores da banca e do crédito especializado aplicaram moratórias privadas ao crédito ao consumo. Estas medidas permitem travar a subida do malparado, já que o pagamento das prestações dos créditos são adiadas.

Atualizada às 12H40 com mais informação

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Paschal Donohoe

Sucessor de Centeno: Irlandês Donohoe surpreende e bate espanhola Calviño

O Ministro das Finanças, João Leão. EPA/MANUEL DE ALMEIDA

Défice de 2020 vai ser revisto para 7%. Agrava previsão em 0,7 pontos

Comissário Europeu Valdis Dombrovskis. Foto: STEPHANIE LECOCQ / POOL / AFP)

Bruxelas acredita que apoio a empresas saudáveis estará disponível já este ano

Um quarto das empresas de alojamento e restauração está em incumprimento